Ano dificil mas abençoado: 2014

Agradeço a todos que participaram da travessia. Por ora, não há porto seguro… Navegar? Será preciso.  Abs do editor, Edison.

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 8.600 vezes em Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 3 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

Oficina de Fotografia: ação cultural no Cambury

 

A Clínica do Texto e a Estação Memória Cambury têm o prazer de compartilhar o BELÍSSIMO TRABALHO COLABORATIVO E EDUCATIVO desenvolvido pela Equipe do Mundo em Foco, ao longo de uma semana no Quilombo do Cambury (8 a 12 Julho), com a participação de jovens, crianças – caiçaras e quilombolas.

O trabalho foi fruto da Campanha: http://benfeitoria.com/clicknalata.-

Veja os detalhes no site: http://estacaomemoriacamburi.wordpress.com/.

Saiba mais sobre o Projeto Click na Lata que concretizou a contento, a Oficina de Fotografia Pinhole no Quilombo do Cambury.

Parabéns a todos os protagonistas!!!

Exposição de Fotografias - http://estacaomemoriacamburi.wordpress.com/2013/07/14/oficina-de-fotografia-pinhole-no-cambury-resultados/

 

 

Luciana Cruz: protagonista do Cambury

Após o LUTO, vamos à LUTA. GALERIA DE ARTE DA JOVEM ARTISTA QUILOMBOLA LUCIANA CRUZ – http://estacaomemoriacamburi.wordpress.com/protagonistas/luciana-cruz/

Luciana Cruz.

A INFORMAÇÃO COMO “QUESTÃO INEXORÁVEL”

Entre os dias 23 e 26 de outubro de 2011, aconteceu o XII Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação – XII ENANCIB 2011, na Universidade de Brasília (UnB, DF), cujo tema foi: “Políticas de Informação para a Sociedade”. Na ocasião, apresentamos o trabalho intitulado INFOEDUCAÇÃO QUILOMBOLA: UMA PERSPECTIVA DE DIÁLOGO ENTRE SABERES”. Disponível em http://estacaomemoriacamburi.files.wordpress.com/2012/02/sdc13111.jpg

Nos intervalos de apresentação de trabalho, o editor da http://estacaomemoriacamburi.wordpress.com/ – Edison Santos – conversou muito sobre Informação, Filosofia, Epistemologia e textos de Mário Ferreira dos Santos, com o jovem pesquisador Robson Ashtoffen e o professor Marcos Mucheroni; ambos trabalham em parceria no Núcleo de Pesquisa em Produção Científica (NPC), do Departamento de Biblioteconomia e Documentação (CBD), o Projeto O Pensamento Vivo da Informação que trata do atual e complexo tema da Informação.

Segundo o amigo e pesquisador, Robson Ashtoffen, que entrevistou o Prof. Dr. Rafael Capurro, fundador e diretor do Informational Center for Information Ethics, a Informação deve ser pensada como uma questão, sobretudo, quando é absorvida como o foco principal das mudanças sociais e de múltiplas visões atualmente, no Brasil e no mundo. Ashtoffen vem pesquisando e construindo uma forma teórica e prática sobre o tema Informação na sociedade, a partir de uma visão ontológica, que corresponde ao acesso e a conseguinte possibilidade de transformação social, pensando-se no “quem” e não no “que”. O projeto da série Pensamento Vivo da Informação se deu na oportunidade em que o pesquisador viajou para Portugal, onde permaneceu por um semestre, ao longo do qual pode entrar em contato com professores europeus e desenvolver entrevistas, cujos resultados podem ser conferidos nos links abaixo:

http://www.youtube.com/playlist?list=PLgXB4DCDYuTCaa7b9ODnxQy6OgeuiO5hS

http://www.youtube.com/playlist?list=PLgXB4DCDYuTC9I1ZWWLoQyCGp8hHX4naF

http://www.youtube.com/playlist?list=PL0AB36714A436CDF6&feature=view_all

http://www.youtube.com/playlist?list=PLgXB4DCDYuTDQOzcnEI70p0VdPka0l2oG

O intuito final do trabalho é constituir um corpus para análise da complexidade do termo Informação e sua complexidade como conceito, “todavia, inexorável para o nosso tempo”.

Fonte: http://www3.eca.usp.br/noticias/ex-aluno-da-eca-desenvolve-pesquisa-sobre-informa-o

Produtos culturais: Oficina de Memória e Xilogravura, Cambury

Ação cultural agita a semana de CONSCIÊNCIA NEGRA em Cambury

O mês de novembro foi bastante movimentado no espaço cultural do Quilombo do Cambury. Entre os dias 15 e 20 de novembro, aconteceu a Segunda Edição das OFICINAS DE MEMÓRIA E XILOGRAVURA, na Escolinha Jambeiro, localizada na sede da Associação Quilombola de Cambury – Ubatuba, SP.

As atividades pedagógicas foram preparadas com antecedência e fizeram parte de uma ação cultural mais ampla, com o intuito de comemorar o Dia Nacional da Consciência Negra e a inauguração do novo espaço físico da Escolinha Jambeiro, que foi reformada com a ajuda e o entusiasmo de três jovens quilombolas (Ueliton, Alex e Vaguinho); a verba do MinC previa a renovação do telhado, a reforma da cozinha, acabamento e pintura novos.

As “Oficinas de Memória: Arte, Cultura e Informação” são práticas infoeducativas que visam a estimular a interação, o diálogo e a aprendizagem de novos saberes entre idosos e crianças. O evento, aberto ao público em geral, contou com a participação de vários educadores (Valter, Wilson, Renata, Otávio e Edison), que trocaram experiências e saberes com os jovens (quilombolas e caiçaras), visitantes e outros amigos da comunidade quilombola de Cambury.

O dia 15 de novembro foi reservado para a preparação do ESPAÇO INFOEDUCATIVO, organização de mesas, cadeiras, materiais pedagógicos, telão para projeção de audiovisual, lousa, mural de fotografias, livros, internet, entre outros recursos, que deveriam ficar à disposição dos participantes. Nesse mesmo dia, à tarde, o Sr. Salustiano (68 anos, pescador, agricultor e quilombola) gravou depoimento, contando algumas histórias, passagens de sua vida e outras curiosidades do tempo em que largou a roça para trabalhar na indústria da pesca. No dia 16 de novembro foi exibido o filme Canoa caiçara.

Assista o filme – http://estacaomemoriacamburi.wordpress.com/historia/fazendo-canoa/

Com dez anos de experiência na arte de fazer e de ensinar Xilogravura, o educador Valter Luz deu início às Oficinas, enfatizando a importância dos relatos orais dos idosos, os fazeres tradicionais, pesca, artesanato, casa de farinha, canoa caiçara etc., para em seguida dar início à Jornada Cultural, com a Oficina de desenho básico: http://estacaomemoriacamburi.wordpress.com/cursosoficinas/desenho/.

Oficina de xilogravura: gravação e impressão

Houve contação da história da xilogravura e apresentação dos materiais usados nesta técnica. Os participantes foram orientados a buscar inspiração nas referências locais: paisagens, fauna, flora, seres humanos em suas ações e objetos que manipulam, utilizando as noções de desenho básico, desenvolvidas na oficina anterior. Mais detalhes da Oficina de Xilogravura podem ser obtidos nos links:

  • Galeria de imagens: registros visuais – (em breve)

Diálogo com a música: construindo instrumentos a partir de materiais recicláveis

Aconteceu a atividade, e as crianças participaram, embora fossem poucas. Embora pareça desimportante, a construção do Kazu, um brinquedo simples, de garrafa pet e saco plástico, tem importância e simbologia marcantes: por um lado se lida com o reaproveitamento de materiais descartados; por outro, remete aos sons da boca: fala, expressão, opinião. Indicadores disso foram a timidez, a princípio: as crianças e os jovens ficaram acanhadas para tirar sons quando estavam perto de nós e dos (das) colegas, mas em casa, ou sozinhas, aventuraram, aprenderam, e, melhor: voltaram para dar retorno, mostrar que aprenderam. Num próximo encontro podemos mostrar que é possível criar pequenas peças musicais, improvisando, com os Kazus, sonoridades que constroem músicas experimentais muito ricas. Mas o resultado será mais eficaz se nós, educadores, fizermos isso juntos, antes; pois, o maior aprendizado se dá sempre pelo exemplo. (relato de Wilson Rocha, músico e educador, 27.11.2012)

DEPOIMENTO

A visita ao Quilombo de Cambury foi muito importante: conheci um pouco a realidade daquela comunidade, desde o lado bom de viverem em plena natureza, até as dificuldades de falta de água e outros recursos, naturais, financeiros, e relativos a educação, saúde etc.

Achei importante haver ali a Escola Jambeiro, com toda uma estrutura de acesso à internet e aprendizado de informática, filmes, vídeos e discos à mancheia: não vi muitos livros, e isso é necessário. Proponho que na próxima visita façamos uma doação de livros, para a Escolinha Jambeiro ou diretamente para as famílias – ou para ambas.

Vamos pensar também na alfabetização. Mesmo que não seja possível a frequência de aulas, dá pra fazer instalações, afixar cartazes, atribuir/delegar atividades aos jovens que estudam, para que ajudem os demais a lerem. (Wilson Rocha, músico e educador)

Ao final dos trabalhos, houve a exposição dos produtos culturais:

Eventos Interessantes: Biblioteconomia e Ciência da Informação

Veja a relação dos últimos eventos, previstos para o 2o. semestre de 2011:

27/11/2011 à 30/11/2011
VII Seminário Nacional de Bibliotecas Braille – SENABRAILLE
O VII Seminário Nacional de Bibliotecas Braille (SENABRAILLE) será realizado de 27 a 30 de novembro de 2011, em Campinas, no Centro de Convenções da UNICAMP, e terá como tema central Bibliotecas: espaços acessíveis a múltiplos usuários.

Será organizado pela Unicamp – Coordenação Geral da Universidade (CGU) e Sistema de Bibliotecas (SBU) – e pela Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições (FEBAB).

Com participação de representantes de bibliotecas públicas e universitárias, entidades da sociedade civil e profissionais de várias áreas, o Evento tem por objetivo discutir diversas temáticas, como políticas públicas, empregabilidade, tecnologias assistivas, artes e, principalmente, permitir o compartilhamento de experiências entre pessoas dispostas a redesenhar novos conceitos para a Biblioteca ao defini-la com uma organização acessível a múltiplos leitores, oferecendo uma oportunidade para debater, discutir e unir esforços para a construção de um ambiente mais acessível.

Espera-se com esta edição do Evento a manutenção de um espaço de diálogo, exposição e reflexão sobre as tendências, tecnologias e desafios que a área da informação enfrenta quando o tema é Acessibilidade.

Para tanto, o VII Senabraille conta especialmente com a assessoria de uma Comissão de Acompanhamento na Área de Acessibilidade, formada por profissionais envolvidos com a causa e pessoas com deficiência, que contribui para o planejamento do Seminário, definindo questões de forma a garantir a acessibilidade de seus participantes e indicando as especificações dos serviços a serem prestados. A Comissão orienta, acompanha, verifica e monitora as diferentes fases do projeto, apontando ajustes na efetivação das necessidades para se alcançar os objetivos desejados.

Informações disponíveis no site.

Site: Clique aqui

18/10/2011 à 20/10/2011
II Fórum Internacional de Biblioteconomia Escolar e V Seminário Biblioteca Escolar: A Prática em Evidência
Apresentação
O II Fórum Internacional de Biblioteconomia Escolar – V Seminário Biblioteca Escolar: A Prática em Evidência reunirá pesquisadores nacionais e internacionais para debater três temas
Comunidades de Prática
Competências em Informação
Pesquisas e Investigação
Analisará as mudanças desafiadoras no ambiente da educação e da escola bem como refletir sobre o papel do profissional que atua na biblioteca escolar.

Objetivos
Analisar as mudanças desafiadoras no ambiente educacional, oriundas das novas tecnologias e redes sociais, as quais refletem diretamente no papel de educador.
Compreender a importância da Competência em Informação na formação dos estudantes e atualização dos profissionais da Educação.
Promover a pesquisa e investigação na área de Biblioteconomia escolares.
Estimular a criação de grupos e fóruns permanentes para discussão e desenvolvimento da Biblioteconomia escolar no Brasil.

De 19 a 21 de outubro
Local: Auditório do Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal – CEPAM
Avenida Professor Lineu Prestes, 913 – Cidade Universitária.
Informações e inscrições: www.fibe2011.com.br
Aproveite os descontos concedidos!
E-mail para contato: faleconosco@fibe2011.com.br

O evento é organizado pelo Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB) e International Association of School Librarianship – (IASL)

Site: Clique aqui

11/10/2011 à 15/10/2011
XII Congresso Internacional de Brinquedotecas: “A Brinquedoteca de Hoje em Dia”
II Encontro Internacional de Pesquisadores sobre Brinquedotecas

Apresentação
A Associação Brasileira de Brinquedotecas, ABBri, filiada à International Toy Libraries Association, ITLA, traz pela primeira vez este evento à América, agora em 12ª. Edição, havendo já sido realizado na Europa, Ásia, África e Austrália, a cada três anos. A partir da constatação de que o conceito de brinquedoteca e sua operacionalização vem tendo uma contínua transformação, com o passar do tempo, este Congresso se propõe a oferecer condições de uma ampla reflexão sobre a trajetória das brinquedotecas, analisando os caminhos que vêm tomando, suas conquistas, desafios e dificuldades, em nível internacional, a fim de preservar sua genuína contribuição à divulgação da importância do brincar.
Diferentes formas de compreender e pôr em prática uma brinquedoteca estão em curso. Os ambientes se diversificam e multiplicam. Brinquedotecas hospitalares humanizam o ambiente, promovem adesão ao tratamento e fornecem apoio às famílias. A escola redescobre a alegria do brincar e sua imensa contribuição para a motivação da aprendizagem e a busca do conhecimento. A valorização da brinquedoteca pelas universidades cresce. Os jogos invadem o campo empresarial evidenciando seu potencial agregador e heurístico. O papel da brinquedoteca se afirma frente aos avanços das ciências humanas e biológicas que confirmam a importância do lúdico para o desenvolvimento, preservação e recuperação de habilidades e competências físicas, psicológicas e sociais.
Essas transformações se acentuam com o ingresso da brinquedoteca no ambiente digital. A utilização da informática no dia-a-dia das brinquedotecas em suas diversas modalidades, com seus fatores de proteção e risco nas diversas faixas etárias e nos diversos ambientes, necessita de uma ampla discussão, com a participação de profissionais e acadêmicos da Educação, da Saúde e da Comunicação, entre outros, com apresentação de resultados de investigações e relatos de experiência em diversos países e continentes. De forma complementar, este congresso enfatiza a importância da utilização da rede digital como meio de comunicação e atualização entre as diversas associações nacionais de brinquedotecas e delas com a International Toy Labraries Association, ITLA; assim como entre brinquedotecas regionais, pesquisadores, etc. , em newsletters e websites.
Ressalta ainda a necessidade da discussão sobre a formação do brinquedista, a qual requer, hoje em dia, uma complementação específica relativa aos diversos ambientes onde vai atuar (escola, hospital, empresa, etc.).
Este congresso, organizado pela ABBri, dá continuidade a anteriores e baseia-se nas diretrizes da ITLA.

Objetivos
O conceito de brinquedoteca, como qualquer outro, sofre uma contínua transformação ao passar do tempo, tanto em teoria como em sua aplicação prática. Nesse sentido, este Congresso tem por objetivo criar condições de uma ampla reflexão sobre a trajetória das brinquedotecas, analisando os caminhos que vêm tomando, suas conquistas, desafios e dificuldades, a fim de preservar sua genuína contribuição à divulgação da importância do brincar.

Data
11 à 15/10/2011

Local do Evento
Fundação Memorial da América Latina
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664
01156-001 – Barra Funda – São Paulo SP
Telefone: 11 3823.4600
São Paulo – Brasil

Contato
faleconosco@itlaconference2011.com.br

Mais informações no site.

Site: Clique aqui

07/10/2011 à 08/10/2011
30º Painel Biblioteconomia em Santa Catarina e VII Fórum Estadual de Bibliotecas Escolares
A Associação Catarinense de Bibliotecários (ACB) reconhecida como Utilidade Pública Estadual aos 36 anos de sua existência, busca além dos objetivos do associativismo, colaborar com a sociedade a partir de práticas que promovam a responsabilidade e inclusão social, a nacionalidade e cidadania, o acesso a informação e a educação continuada dos profissionais bibliotecários e cientistas da informação.

Neste evento, a ACB reunirá formadores de opinião que atuam em Bibliotecas, Centros de Documentação e Informação dos segmentos do primeiro, segundo e terceiro setor de Santa Catarina e de outros Estados.

No 30º Painel de Biblioteconomia em Santa Catarina, a ACB espera contar com um grande público aliando toda a Região Sul, Federação Brasileira de Biblioteconomia, Cientistas da Informação e Instituições, Conselhos Regionais, Órgãos do Governo Federal, Estadual e Municipal e demais instituições.

OBJETIVOS

Iniciado em 1982, o Painel Biblioteconomia em Santa Catarina se consolida como um fórum anual que chega a sua 30ª edição almejando os seguintes objetivos:

– Aprimorar a prática profissional dos bibliotecários catarinenses propiciando educação continuada aos mesmos.
– Divulgar e compartilhar experiências, resultados de pesquisas e estudos da área de Biblioteconomia e Ciência da Informação realizados em Santa Catarina e em outras regiões do país.
– Promover debates que contribuam com a sociedade na realização de projetos e reivindicações de ações ao entendimento de nacionalidade, cidadania e responsabilidade e inclusão social.
– Socializar práticas e vislumbrar oportunidades de intervenção política da classe bibliotecária catarinense no sentido de projetar ações relacionadas ao fazer profissional/político no sentido de fortalecer a categoria e projetá-la na sociedade catarinense.

PÚBLICO-ALVO

Bibliotecários, arquivistas, cientistas da informação, professores, estudantes de Biblioteconomia e Arquivologia, auxiliares de biblioteca, técnicos em biblioteconomia, profissionais com atuação em bibliotecas escolares, públicas, universitárias, especializadas e populares, e outros profissionais de áreas afins.

Tema do Painel: A Comunicação Científica e os Profissionais da Informação: a produção científica e educação continuada

Tema do Fórum: O profissional da Informação e a pesquisa em biblioteca escolar

Dias 07 e 08 de outubro de 2011
Local: Universidade do Estado de Santa Catarina
Av. Madre Benvenuta, 2007 – Itacorubi.
Florianópolis – SC

Site: Clique aqui

03/10/2011 à 04/10/2011
IV Encontro de Gestão da Informação e do Conhecimento em Acervos Esportivos no Estado de São Paulo
É com prazer que o Centro de Documentação e Biblioteca – CEDOC, da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação – SEME, da cidade de São Paulo, anuncia que foram iniciados os preparativos para a realização do IV Encontro de Gestão da Informação e do Conhecimento em Acervos Esportivos no Estado de São Paulo, previsto para os dias 3 e 4 de outubro de 2011.

TEMA: Estratégias e iniciativas de sustentabilidade nas áreas de esporte, lazer e recreação: contribuição à gestão do conhecimento.
Temas correlatos: inclusão social, bioconstrução (técnica de construção que utiliza os conceitos da reutilização e da reciclagem, reduzindo o uso de recursos naturais), reciclagem, legados, capacitação de pessoas, curso de empreendedorismo, hábitos saudáveis e atitudes de prevenção a doenças, ética (conduta sustentável), responsabilidade social, direitos humanos, meio ambiente, gestão, parcerias.

OBJETIVO: promover reflexão, por parte dos profissionais e estudantes de Educação Física, Biblioteconomia, Informação, Comunicação e demais áreas do conhecimento, sobre o tema apresentado, com exposição de propostas, resultados e conseqüências. O CEDOC entende como sua responsabilidade incitar e incentivar a produção e socialização de conhecimento científico na área esportiva.

PÚBLICO ALVO: Profissionais e estudantes das áreas de Educação Física, Esporte, Lazer, Recreação, Biblioteconomia, Informação, Comunicação, e demais interessados pelo tema

LOCAL: Auditório Paulo Kobayashi
Assembléia Legislativa de São Paulo
Av. Pedro Álvares Cabral, 201
São Paulo – SP – Brasil

Período de inscrições: De 20 de junho de 2011 até o encerramento do número de vagas (180 – cento e oitenta) – Evento gratuito.

Ficha de Inscrição

PROGRAMA: Em construção

CONTATO:
CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA – CEDOC/SEME
Al. Iraé, 35 – Indianópolis
CEP 04075-000 São Paulo – SP – Brasil
Tel.: (11) 3396-6453/6490
e-mail: seme.biblioteca@prefeitura.sp.gov.br / mbotelho@prefeitura.sp.gov.br

Site: Clique aqui

28/09/2011 à 30/09/2011
VI Fórum Nacional de Bibliotecários dos Institutos Federais de educação, Ciência e Tecnologia

TEMA: Administração das bibliotecas dos Institutos Federais

Blog: http://forum2011if.blogspot.com/

Subtemas:
Qualidade, Planejamento e Marketing nas bibliotecas

Local: Petrolina – PE
Data: 28 a 30/09

O FÓRUM NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ao longo da sua história vem proporcionando a capacitação de bibliotecários das Instituições Federais de Ensino, discutindo temas relevantes relacionados à Biblioteconomia, assim como as condições das práticas destes nos seus ambientes de trabalho, visando à melhoria dos serviços prestados pelas unidades de informação.

O Fórum é um evento destinado aos profissionais bibliotecários que compõem o quadro permanente dos IFs, com periodicidade anual e desde o ano de 2005, os CEFETs (atual IFs) têm sediado em diferentes cidades.

Site: Clique aqui

08/09/2011à08/09/2011
Colóquio Internacional E-books e o futuro das bibliotecas : evolução ou revolução?
O Goethe-Institut São Paulo, a Maison de France e o Instituto Cervantes com o apoio da Fundação Memorial da América Latina convidam para o colóquio internacional

E-books e o futuro das bibliotecas : evolução ou revolução?


O colóquio tem por objetivo discutir a mudança da leitura no papel impresso, existente há quase 600 anos para a leitura digital e interativa. Os e-books estão se transformando em produto de massa, modificando de forma definitiva o modelo tradicional das bibliotecas e dos negócios editoriais.

Data: 8 de setembro de 2011, 5ª feira
Horário: 8h às 17h30
Local: Auditório Simon Bolívar
Fundação Memorial da América Latina
Avenida Auro Soares de Moura Andrade 664
São Paulo – Capital
Estação Barra Funda do metrô – estacionamento no local

Tradução simultânea

Inscrição gratuita e antecipada através do email biblioteca@saopaulo.goethe.org ou telefone 11-3296-7051, constando nome completo, instituição e email
É obrigatória a apresentação de RG original para o empréstimo dos fones de tradução

Programação

8h – Recepção e credenciamento

9h – Abertura

9h30 – Estado atual da questão: oferta, negociação, valorização e uso dos e-books nas bibliotecas acadêmicas francesas
Claire Nguyen, bibliotecária, diretora do Consórcio Couperin da Bibliothèque Interuniversitaire de Santé Paris
Os e-books estão presentes nas bibliotecas acadêmicas desde 2007. Entretanto, os bibliotecários franceses reclamam de uma falta de qualidade na ofertas desse suporte em sua língua, oferta irregularmente repartida segundo as disciplinas e os níveis relativos a cada uma delas, sendo mal adaptada à demanda. Por esta razão, os negociadores do consórcio Couperin tentam construir a oferta e seus modelos conjuntamente com os editores, a fim de sustentar o desenvolvimento dos e-books. É necessário igualmente valorizá-los (por meio de descrições e pela sua promoção), o que permitirá desenvolver também seu uso. A célula e-books do consórcio Couperin acompanha ativamente esse processo, tanto no terreno da biblioteconomia quanto no dos consumidores – e minha intervenção é uma síntese desse processo.

10h30 – Experiências com e-books em uma biblioteca pública alemã
Frank Daniel, bibliotecário, diretor do departamento de serviços escolares e serviços eletrônicos da Stadtbibliothek Köln (Biblioteca Pública de Colônia)
Cada vez menos a nova geração compreende o sentido e a finalidade das bibliotecas. Na Internet pode-se obter informações atuais gerais e especializadas em qualquer hora e lugar. Além disso, houve um enorme aumento do uso de Smartphones, iPads, Tablet-PCs e e-Readers móveis. Juntamente com as lojas virtuais de e-books da Amazon, Apple e Google esta é uma ameaça real para o conteúdo tradicional das bibliotecas. Para continuar realizando sua tarefa clássica, uma biblioteca também deve disponibilizar na Internet fontes eletrônicas atrativas aos seus leitores, não acessíveis de forma gratuita. Uma possibilidade é o empréstimo digital online através da Firma DiViBib. Ele permite que usuários de bibliotecas façam o empréstimo de conteúdo digital licenciado pelas editoras como livros, audio-livros, músicas, filmes e jornais. O uso é por um período pré-determinado, através de download no computador ou dispositivo móvel do leitor. Em 2007 a Biblioteca Pública de Colônia foi biblioteca piloto e desde o princípio pode acompanhar a evolução do projeto. Atualmente são mais de 250 bibliotecas participantes, algumas delas também disponibilizam e-Readers para empréstimo. A palestra discute as seguintes questões: como funciona o empréstimo digital online e como é a experiência da Biblioteca Pública de Colônia? Como são disponibilizados os e-Readers? O que dizem os leitores? Quais as vantagens e desvantagens do empréstimo digital? Quais as alternativas para as bibliotecas públicas? Como será o futuro?

11h30 – discussão plenária

12h00 – intervalo para almoço – há restaurante por quilo no Memorial da América Latina

13h30 – O e-book, um desafio à criatividade: o caminho a seguir sob a ótica da Espanha
Antonio Rodríguez de las Heras, doutor em Letras e Filosofia, diretor do Instituto de Cultura y Tecnologia da Universidad Carlos III de Madrid
Esta apresentação divide-se em duas partes. A primeira, dedicada a uma exposição das características deste fenômeno cultural que gera a mudança do suporte da escrita. A passagem do papel ao suporte digital provoca um efeito dominó que alcança o livro códice, a edição, a distribuição, os modos de leitura e a escrita. Todas as manifestações seculares da cultura escrita se vêem afetadas. A indicação de todos estes fenômenos de mudança será um dos objetivos desta primeira parte. Mudanças no artefato de leitura, no espaço de leitura (da página para a tela), na escrita (do texto ao hipertexto; da ilustração à escrita multimídia) e do conceito de obra (da encadernação à “nuvem”). Apresentado este panorama que altera o até então estabelecido, a segunda parte estará centrada na resposta que as editoras (e os novos modelos de negócio), as bibliotecas (e a sua busca por novas funções), os hábitos e a mentalidade dos leitores e a criação dos escritores na Espanha.

14h30 – O cenário editorial francês em matéria de e-books
Jean-Michel Ollé, editor, diretor editorial da Hachette Livre International
Desde 2010, a edição francesa entrou, após muita hesitação, na era digital. Os catálogos digitais começaram a ganhar corpo. A oferta às bibliotecas, historicamente limitadas nestes últimos anos às revistas e publicações científicas, se diversifica em direção à Literatura e às Ciências Humanas.
Subsistem ainda numerosos problemas, jurídicos, técnicos e comerciais – em termos de controle de preços, de respeito à propriedade intelectual, de interoperacionalidade de dados etc. Mas esses problemas vão sendo identificados e, pouco a pouco, a profissão se organiza para oferecer ao público e às bibliotecas conteúdos de qualidade no formato e-book.

15h30 – Intervalo para café

16h – E-books: um belo e novo mundo?
Christoph Freier, administrador de empresas, diretor da divisão de Entretenimento da GfK Panel Services Deutschland
Na Alemanha, o ainda jovem mercado de comércio via download foi responsável por cerca de 5% dos gastos com entretenimento no ano de 2010. Também no mercado de livros são aguardados novos impulsos através dos e-books. Neste contexto e tendo como exemplo o mercado alemão, as seguintes questões serão examinadas de forma mais detalhada:
– que papel o comércio de livros digitais desempenha se comparados a mercados de entretenimento vizinhos?
– em que medida o tema e-book é conhecido do consumidor final, qual a atitude do consumidor frente aos livros digitais? Quais barreiras existem? – Qual a situação atual do mercado de e-books? (tamanho, estrutura de vendas, gêneros, preços)
– Como é avaliado o mercado de e-books sob o ponto de vista das editoras e livrarias?
– Qual o potencial do mercado de e-books?

17h00 – Discussão plenária

26/08/2011 à 26/08/2011
III ENB – Encontro Nacional de Bibliotecários de IES & III Encontro Nacional de Bibliotecários Escolares
Data
26 de agosto de 2011

Local
HOTEL PARK INN IBIRAPUERA – Avenida Ibirapuera, 2534 – Moema – São Paulo-SP

Para quem se destina
Chefes, encarregados e bibliotecários de instituições de ensino.

Benefícios em participar deste Encontro
. Conhecerá as tendências do e-book e o seu impacto nas bibliotecas;
. Saberá o contexto atual dos bibliotecários e as diversas formas da censura;
. Terá informações sobre a realidade atual na gestão de bibliotecas e sistemas de informações acadêmicas;
. Conhecerá o que as gerações X, Y e Z esperam das bibliotecas da atualidade.

Site: Clique aqui

13/08/2011 à 13/08/2011
Curso de Capacitação Técnica em Gestão da Documentação Financeira e Bancária
Objetivos

Apresentar os conceitos e prática aplicada na gestão de acervos documentais da área financeira e bancária, de modo a ampliar e consolidar as competências dos profissionais que desempenham funções neste setor de atividade, tendo em vista a dinâmica e alta competitividade do mercado, bem como a necessidade de se mitigar o risco operacional através do controle e disponibilidade da documentação.

PROGRAMAÇÃO

Sistemas de Arquivo

• Histórico
• Conceitos
• Terminologia
• Teoria das três idades
• Arquivos especiais e especializados

Gestão Documental

• Legislação arquivística
• Avaliação de documentos: valores
• Instrumentos da gestão documental: plano de classificação e Tabela de Temporalidade
• Arquivamento: ordenação e arranjo

Breve Introdução ao Mercado Financeiro e de Capitais

• Sistema Financeiro Nacional
• Legislação
• Autarquias Reguladoras e Entidades Associativas
• Agentes Financeiros

Tratamento e Organização da Documentação Financeira e Bancária

• Introdução a Gestão de Acervos Financeiros
Tratamento do acervo(s):
• Administrativo
• Cadastro de Clientes Pessoa Jurídica e Pessoa Física
• Jurídico
• Crédito : Pessoal e Corporativo
• Fundos de Investimentos
• Financeiro

Administração de Acervos Financeiros

• A atuação de profissionais especializados em Arquivos e Centro de documentação na área Financeiro
• Controle de Rotinas Administrativas
• Arquivo Inativo
• Terceirização de Serviços

Controle

• Gestão de processos (BPM)
• Gestão de documentos (Cadastro, impressão)

Ferramentas de Gestão de Processos e GED

• Gestão de documentos (digitalização e transmissão), com visita de representante de uma empresa de soluções.
• Gestão de arquivos (soluções de captura, guarda e recuperação)

Início: 13 de agosto de 2011
Duração: 2 meses
Dia da Semana: Sábados
Horário: Sábados das 09h00 às 13h00.

Site: Clique aqui

08/08/2011 à 09/08/2011
II Fórum sobre Bibliotecas Públicas: Serviços de Informação e Mediação de Leitura
Chamada de Trabalhos – PRAZO PRORROGADO

A Coordenação Geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas – CGSNBP, da
Fundação Biblioteca Nacional – FBN, realizará no período de 8 e 9 de agosto de 2011,
no XXIII CBBD – Maceió/AL, o I I Fórum sobre Bibliotecas Públicas: serviços de
informação e mediação de leitura.

No período de 28/04 a 27/05 do corrente, a CGSNBP/FBN estará recebendo
trabalhos voltados para o tema do evento: “Serviços de informação e mediação de
leitura”, contendo os subtemas:
1) Serviços de informação para a comunidade;
2) Mediação de leitura nas bibliotecas públicas

Remeter trabalho para o e-mail: cgsnbp@bn.br e por sedex para:
Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas/Fundação Biblioteca Nacional
Rua da Imprensa, 16/11º andar – Centro
20030-120 – Rio de Janeiro – RJ
O resultado será divulgado no dia 10/06 no site http://www.bn.br/snbp e remetido por
e-mail para os autores.
Normas para apresentação dos trabalhos (Clique aqui)

Site: Clique aqui

07/08/2011 à 10/08/2011
XXIV CBBD – Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação

O XXIV CBBD pretende revelar o estado da arte das pesquisas, das práticas, e do desenvolvimento de produtos e serviços relacionados às bibliotecas, sistemas de informação, documentação e redes de bibliotecas no Brasil e do exterior, no contexto da sociedade da informação e do conhecimento.

O evento contemplará Sessões plenárias com palestras e conferências pela manhã; Sessões temáticas e Mesas redondas pela tarde, que darão a oportunidade aos participantes de conhecer fundamentos teóricos e experiências implementadas pelas unidades de informação sob os ângulos da Gestão, Comunicação e Tecnologia da informação em bases multidisciplinares, como também os aspectos sociais, econômicos e políticos em curso, e contemplando os aspectos do acesso eqüitativo e da diversidade a todas as pessoas. O evento proporcionará espaço para o debate e a formulação de recomendações, aperfeiçoamentos e ampliação de ações na área

Local: Centro Cultural e de Exposições de Maceió.

Abertas inscrições no evento
Para se inscrever no congresso, clique aqui.

As submissões de trabalhos foram encerradas!
Confira a lista dos trabalhos aprovados no site do XXIV CBBD.

Site: Clique aqui

05/08/2011 à 06/08/2011
Taxomania – do planejamento à implantação
Próximas turmas – São Paulo – SP (5 a 6 de agosto, 2011)

• 20/27 de agosto, aos sábados, Brasília-DF;
• 3/10 de setembro, aos sábados, Recife-PE;
• 17/24 de setembro, aos sábados, Belém-PA.

Facilitar a descoberta de um mar de informações com o mínimo de frustração e oferecer uma experiência de navegação e busca positiva para os clientes internos e externos são os objetivos críticos das organizações de hoje. E esses são os objetivos de uma ferramenta de taxonomia.

Se projetada, implantada e gerenciada corretamente, uma taxonomia se torna em um dos principais vetores para a inovação e melhoria da organização e recuperação da informação em web sites, intranets e sistemas de gerenciamento da informação.

O curso Taxonomia, do planejamento à implantação é um programa de capacitação modular criado para desenvolver as suas competências e permitir que você domine a teoria, o planejamento e a construção de uma taxonomia na prática.

Neste curso você irá:
• Conhecer o que é uma taxonomia;
• Conhecer o que o Gartner Group e outros institutos de pesquisas como Forrester Research dizem sobre essa ferramenta;
• Conhecer os diferentes tipos de taxonomias e seus usos por meio de um caso real implantado em uma empresa;
• Conhecer as normas e padrões internacionais para a construção de uma taxonomia;
• Conhecer as noções básicas para a criação de termos (conceitos) e as relações semânticas de acordo com a ANSI/NISO Z39.19;
• Experimentar e identificar na prática quais as funcionalidades que um software de gerenciamento de taxonomia deve ter;
• Criar na prática uma taxonomia (criar termos e construir relações semânticas entre eles) e simular o seu funcionamento integrado a um mecanismo de busca e a uma base de informação.

A quem se destina?
• Bibliotecários
• Cientistas da informação
• Arquivistas
• Arquitetos da informação
• Desenvolvedores de portais/intranets
• Profissionais da tecnologia da informação e comunicação
• Profissionais responsáveis pela gestão do conhecimento ou inteligência competitiva
• Profissionais responsáveis pela indexação, classificação ou o gerenciamento de conteúdos.

Investimento: Curso Taxonomia: do planejamento à implantação com desconto por pouco tempo!
Faça sua inscrição agora por apenas R$720,00!

Mais sobre o curso clique aqui ou acesse o site.

Site: Clique aqui

30/07/2011à30/07/2011
Palestra “A Usabilidade de Sites Jurídicos”
PALESTRA GRATUITA.

Palestrante: Dulce Mara de Oliveira
Graduada em Biblioteconomia e Documentação pela ECA/USP. Há 16 anos atua na área de gestão de informação e atualmente é Bibliotecária do Escritório Demarest e Almeida Advogados.

Objetivo:
Apresentar a prática do trabalho do bibliotecário quanto à usabilidade dos sites jurídicos.

Público-alvo:
Profissionais que atuam ou que querem ingressar em unidades de informação e documentação jurídica.

Cronograma:
09h – Abertura/Credenciamento
11h – Coffe Break
13h- Encerramento do evento.

Conteúdo do Workshop:
1 – Introdução
2 – Usuários da Informação
3 – Usuários e sua necessidade
4 – Usuários de Biblioteca
5 – Usuário da Biblioteca jurídica
6 – Internet
7 – Arquitetura da Informação
8 – Usabilidade
9 – A Importância da usabilidade
10 – Usabilidade de websites
11 – Usabilidade de sites jurídicos
12 – Comparando sites
13 – Acessibilidade na web
14 – Nas nuvens
15 – Considerações Finais
16 – Conclusão

Data: 30 de julho de 2011 (sábado)
Horário: 9h às 13h
Local: Conselho Regional de Biblioteconomia
Rua Maracajú, Nº 58 – Vila Mariana – São Paulo.
INSCRIÇÕES ENCERRADAS: caso queira ficar em uma lista de espera envie um e-mail para crb8@crb8.org.br informando: nome completo, nº do CRB, telefones, endereço de email e instituição em que trabalha.

30/07/2011 à 30/07/2011
XII Concurso Nacional de Contos
“Prêmio Ignácio de Loyola Brandão”

A Prefeitura de Araraquara, por meio da Secretaria Municipal da Cultura e Fundart, realiza o XII Concurso Nacional de Contos de Araraquara “Prêmio Ignácio de Loyola Brandão” que tem por objetivo o estímulo e o incentivo de novos escritores da literatura brasileira e é aberto à participação de brasileiros residentes em território nacional ou no exterior.

Regulamento

Site: Clique aqui

25/07/2011 à 27/07/2011
Cursos Content Digital
CURSO 1
UNIDADES DE INFORMAÇÃO NA WEB 2.0: conceitos, estratégias e práticas
3ª turma presencial!
Curso presencial com um micro por aluno
Instrutoras: Renate Landshoff e Suely de Brito Clemente Soares
Data: 25 e 26 de agosto de 2011 (quinta e sexta-feira)
Local: Av. Paulista – Próximo à estação de metrô Trianon-Masp – São Paulo, SP
Inscrições: http://www.contentmind.com.br/?page_id=710

CURSO 2
BOAS PRÁTICAS NA PRESERVAÇÃO DE DOCUMENTOS E INFORMAÇÕES DIGITAIS

1ª turma presencial!
Instrutor: Humberto Innarelli
Data: 27 de agosto de 2011 (sábado)
Local: Av. Paulista – Próximo à estação de metrô Trianon-Masp – São Paulo, SP
Inscrições: http://www.contentmind.com.br/?page_id=1379

Veja promoção para alunos da Content Mind e para quem fizer os dois cursos ! www.contentmind.com.br

A Content Mind apóia o curso:

TAXONOMIAS: DO PLANEJAMENTO À IMPLANTAÇÃO
Turma Presencial com um micro por aluno!
Instrutor: Geraldo Souza
Brasília – 20/27 de agosto 2011. (Dois sábados)
Local: Via Appia Informática. Sia Sul Qd. 4C Lote 56 – Edifício Sia Center I – Salas 201/205.
São Paulo – 02/03 de setembro de 2011 (sexta- feira e sábado)
Local: Avenida Paulista, 1159 16o. andar – Estação Trianon
Inscrições: www.experienciasemantica.com

Site: Clique aqui

25/07/2011 à 30/07/2011
XXXIV ENEBD – Encontro Nacional de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência e Gestão da Informação
Formação do profissional da informação: desafios, perspectivas e campos de atuação.

25 a 30 de julho de 2011

Local: UFAM

Programação, informações e inscrições você encontra no site.

Site: Clique aqui

20/07/2011 à 20/07/2011
Biblioteca: Montagem, Organização e Conservação de Acervos
O objetivo do curso é disseminar informações sobre montagem, organização, conservação e higienização de acervos em Biblioteca e Centros de Documentação e do ambiente para preservação, organização e divulgação de informações. Definição de conservação e restauração. O livro e suas partes. Motivos, danos e controle da deterioração de documentos. Catalogação.

Objetivos Específicos: Orientar sobre as rotinas básicas dos serviços realizados nas bibliotecas, cadastro dos números de chamada dos livros, verificação de exemplares doados, prática da higienização dos materiais bibliográficos do acervo em geral. Prevenir o pessoal que lida com livros e outros documentos para necessidade de controle de agentes que prejudicam sua conservação. Difundir noções de higienização como medida preventiva na conservação de documentos, detectando possíveis focos de deterioração dos materiais.

Palestrante: Maria Esther Mendes Perfetti – Graduada em Biblioteconomia e pós-graduada em Gerência de Sistemas e Serviços de Informação. Seu primeiro contato com os livros e alunos veio com o trabalho em biblioteca escolar no colégio Rainha da Paz de 1976 a dezembro de 1990, em São Paulo. De fevereiro de 1991 a junho de 2005 coordenou o Centro de Documentação da Editora Scipione do Grupo Abril Educação e atuou junto ao Departamento Editorial selecionando e encaminhando originais de livros para análise. É editora do portal Parceiros do Livro, Diretora da J&M Consultoria de Negócios com Livros, Editora-chefe do selo Infantil Pingo de Letra da Scortecci e Coordenadora da Escola do Escritor. É coautora do Guia do Profissional do Livro – Informações importantes para quem quer escrever e publicar um livro.

Data: 20 de julho de 2011 (quarta-feira)
Horário: 16h00 às 20h00
Preço: R$ 120,00

Sala de aulas:
Rua Mourato Coelho, 393 conjunto 1 (esquina com Rua Teodoro Sampaio) – Bairro de Pinheiros, São Paulo, SP
Telefone: (11) 3034-2981

Faça aqui a sua Inscrição: http://www.escoladoescritor.com.br/formulario.php?id=22

Site: Clique aqui

19/07/2011à19/07/2011
Lançamento do Livro Voltar a ler: propostas para ser uma nação de leitores
O Instituto Cervantes de São Paulo, a Companhia Editora Nacional e a Librería Española e Hispanoamericana convidam para a palestra de apresentação do livro Voltar a ler: propostas para ser uma nação de leitores do argentino Mempo Giardinelli.

VOLTAR A LER: PROPOSTAS PARA SER UMA NAÇÃO DE LEITORES
Em sua obra “Voltar a ler”, tradução e adaptação de “Volver a Leer”, o autor argentino Mempo Giardinelli expõe as propostas político-pedagógicas que foram implementadas na Argentina, mas que, sem dúvida, valem para toda a América Latina, e em nosso caso, como define o prólogo do professor José Castilho, diretor editorial de Editora da Unesp, e principal incentivador do PNLL, Plano Nacional do Livro e Leitura.
Já se sabe que sem leitura e sem livros, não há futuro digno possível para um país. Sem leitura, o destino dos povos é continuar na ignorância e ter uma pior qualidade de vida. Para enfrentar esta questão, que é crucial, é necessário que sejam desenvolvidas políticas públicas de fomento ao livro e à leitura.
As propostas de Giardinelli foram desenvolvidas com base em sua experiência de professor, jornalista e escritor, que há mais de duas décadas mantém uma intensa militância a favor da disseminação da leitura em seu país.
Vamos apresentar e discutir “Voltar a Ler”, que é uma obra indispensável para os promotores da leitura – professores, bibliotecários e militantes em geral da cultura e da educação.

Mempo Giardinelli
Escritor e jornalista. Nasceu em Resistencia, Chaco, República Argentina. Morou em Buenos Aires entre 1969 e 1976, foi exilado no México entre 1976 e 1984, e quando voltou fundou e dirigiu a revista “Puro Cuento” (1986-1992). Entre 1993 e 2000 passou a morar em Paso de la Patria, Corrientes. Desde 2001 mora em Resistencia.
É autor de novelas, livros de contos e ensaios, y escreve regularmente em jornais e revistas da Argentina e de outros países. Publicou artigos, ensaios e contos em meios de comunicação em quase todo o mundo.
Participantes na mesa: Mempo Giardinelli, autor; José Castilho, Diretor Editorial da Editora da Unesp e ex presidente do PNLL e Víctor Barrionuevo, Diretor da Librería Española, editor e tradutor do livro

Local: Auditório do Instituto Cervantes de São Paulo
Data: 19 de julho de 2011
Horário: 19h30

* Haverá venda de livros e sessão de autógrafos depois da palestra.

Instituto Cervantes de São Paulo
Av. Paulista, 2439
Metrô Consolaçao
Bela Vista
01311-300 São Paulo-SP
Tel.: 55 11 3897 96 00
Fax.: 55 11 3064 22 03
censao@cervantes.es
http://saopaulo.cervantes.es

 

11/07/2011 à 22/07/2011
Curso Assistente de Biblioteca
Data: 11 à 22 de julho
Horário: 19h30 às 21h30.
Gratuito
Serão oferecidas cerca de 50 vagas.
Local: Faculdade Anhanguera Educacional – Unidade Sumaré
Avenida Eugênio Biancalana Duarte, 501
Jardim Primavera – Sumaré – SP

Para participar, os interessados precisam ter mais de 15 anos.
Será emitido um certificado de participação.
As inscrições devem ser feitas pelo e-mail projetoanhangueradeinverno@gmail.com
ou pelo telefone (19) 3873-5871, falar com Kelen.

Docente: Wellington Correia de Oliveira CRB 8/8110
Bibliotecário Municipal de Sumaré
Formado em Biblioteconomia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho” – UNESP/Campus Marília.

Realização: Faculdade Anhanguera Educacional
Prefeitura Municipal de Sumaré – Rede de Bibliotecas Públicas de Sumaré.
Sociedade Amigos da Biblioteca Municipal de Sumaré

Site: Clique aqui

Bibliotecas: tradição no acúmulo e circulação de ideias

Por Andreia Hisi

A palavra biblioteca nos remete a um lugar tranquilo e silencioso, ou para alguns, a apenas um repositório de livros. Mas muito mais do que um lugar reservado a livros e leitores, as bibliotecas têm muito a dizer sobre as relações estabelecidas ao longo da história entre a cultura e as pessoas, entre a humanidade, seu conhecimento acumulado e seu legado para o futuro. A história das bibliotecas remonta à história da consolidação da civilização em seu aspecto mais fundamental, no qual os resultados dos progressos da humanidade em sua evolução social e intelectual são mantidos e perpetuados. “A ciência é cumulativa e a biblioteca tem a função de preservar a memória – como se ela fosse o cérebro da humanidade – organizando a informação para que todo ser humano possa usufruí-la”, explica Luís Milanesi, professor do Departamento de Biblioteconomia da Escola de Comunicação e Artes da USP (ECA/USP), no livro O que é biblioteca.

Desta maneira, segundo ele, a história da biblioteca é a história do registro da informação. De acordo com Ana Lúcia Merege, da Biblioteca Nacional, o conceito de “biblioteca”, apresentou significados diferentes ao longo do tempo, sem, contudo, deixar de representar um espaço de registro de informações. “O conceito de biblioteca como lugar de acumulação de registros escritos remonta à Antiguidade. As primeiras civilizações a criar sistemas de escrita foram também as pioneiras em manter bibliotecas. Na Mesopotâmia, as bibliotecas compostas por tabuletas de argila, com registros em escrita cuneiforme, existem aproximadamente desde o século V anterior à nossa era”, conta. Segundo Merege, assim como hoje, as obras eram organizadas segundo critérios rigorosos, e também havia mecanismos de consulta. “Na mais antiga biblioteca de que se tem notícia, a de Ebla, na Síria, havia extensas listas de nomes, dicionários e gramáticas. Na de Assurbanípal, a mais famosa biblioteca da Mesopotâmia, as obras eram divididas em ‘Ciências do Céu’ e ‘Ciências da Terra’, eram catalogadas e ficavam a cargo de funcionários qualificados”, aponta.

Como apenas uma pequena parcela da população sabia ler, essas bibliotecas particulares ou institucionais só eram usadas por estudiosos e, em certas civilizações, por funcionários e escribas que davam suporte à administração. “Ainda assim, pode-se dizer que o conceito de biblioteca como espaço de saber também data da Antiguidade; basta citar, como exemplo, a famosa biblioteca de Alexandria, que reunia em torno de si um grande número de estudiosos e dava suporte a debates, pesquisas e avanços científicos”, completa. A biblioteca de Alexandria foi fundada pelos primeiros representantes da dinastia ptolomaica, no século III a. C, no interior do Museion, ou templo das musas (centro de cultura grega). Sua finalidade era “concentrar em si toda sabedoria acumulada pelo mundo grego, dando a seus herdeiros domínio sobre ela”, relata Matthew Battles, da biblioteca Houghton, no livro A conturbada história das bibliotecas. Parte da mitologia que envolve essa biblioteca se deve aos relatos que ressaltavam as atividades intelectuais em torno dela, uma vez que não restou nenhuma evidência física de sua existência. “Os estudiosos do Museion comiam juntos num refeitório e toda propriedade intelectual era coletiva, modelo que seria imitado depois, na Idade Média, pelas primeiras universidades europeias.

O grau de liberdade acadêmica de que os estudiosos desfrutavam era extraordinário”, aponta Battles. “Ao patrocinar esse objetivo, os ptolomeus confirmavam a intuição essencialmente alexandrina de que o conhecimento é um bem, uma mercadoria, uma forma de capital a ser adquirido e entesourado”, conclui. Atenas e Pérgamo também sediaram grandes bibliotecas, com centenas de milhares de livros. Havia ainda bibliotecas mais modestas em Rodes e em Antioquia (atual Antakya, na Turquia). O mundo experimentou sucessivas experiências de acúmulo e organização dos livros, como a profusão de bibliotecas particulares durante o Império Romano, além de importantes iniciativas como a biblioteca de Constantinopla, no século V, com cerca de 120 mil volumes, ou as coleções medievais cristãs, mantidas em monastérios. As bibliotecas, ainda que fossem espaços de circulação do saber, eram centralizadas em torno da relação entre governantes e intelectuais. “Em tempos de guerras, infortúnio ou decadência, porém, essa centralização tornava-se um problema, pois toda a literatura contida ali estaria condenada a ter o mesmo destino que a biblioteca”, explica Battles. Contudo, mesmo que algumas bibliotecas se perdessem através de guerras, a tradição estabelecida se manteve. Na Idade Média surgiram, na Europa, importantes bibliotecas nos centros de poder político-econômico, como as bibliotecas italianas de Florença (Laurenziana, arquitetada por Michelângelo), Veneza (Marciana), do Vaticano (fundada pelo Papa Sisto IV), de Milão (Ambrosiana), além das bibliotecas de Roma, entre elas a da Universidade Sapienza (uma das mais antigas do mundo).

As bibliotecas monásticas, em particular, tiveram um papel fundamental, pois além de manter livros que eram essencialmente religiosos, também contribuíram para a perpetuação e preservação de textos da Antiguidade. Os monges beneditinos praticavam o oficio de scriptoria, ou seja, realizavam cópias de livros que se tornaram raros no Ocidente. Embora os monges censurassem certas obras ou passagens, esse trabalho permitiu a perpetuação de obras antigas. O mosteiro de Monte Cassino, próximo a Roma, foi provavelmente o maior do Ocidente, onde se copiou aproximadamente três mil volumes. Na França, a Biblioteca Real (atual Biblioteca Nacional), foi criada por Carlos V, em 1368, e ficava no palácio do Louvre, com aproximadamente 1,2 mil volumes. Mas a biblioteca pública francesa mais antiga é a Mazarine, aberta ao público desde 1643. Ela se origina como coleção particular do cardeal Mazarin e foi consideravelmente expandida sob a tutela de Gabriel Naudé, autor do primeiro tratado de biblioteconomia moderna. Para garantir a sua manutenção, Mazarin integrou-a ao Collège des Quatre Nations, destinado à educação de jovens das quatro províncias que estavam sob sua regência e que, mais tarde, tornaria-se o Institut de France (reunião das academias francesas de letras, belas-artes, ciências e ciências sociais).

Frente da Biblioteca Mazarine, em Paris. Foto: Wikimedia Commons.

Além dessa incipiente abertura das bibliotecas ao público, um marco histórico fundamental mudaria para sempre o alcance das obras. “A adoção do formato códice em substituição ao rolo já havia facilitado muitíssimo a circulação de informação nos primórdios da cultura cristã. Mas o surgimento da imprensa, no século XV, é o grande divisor de águas, pois permitiu uma multiplicação de obras, de sua circulação, e foi, consequentemente, vital para o surgimento e o incremento de bibliotecas”, diz Merege.
De acordo com ela, ainda que parte do conhecimento tenha sido transmitido ao longo do tempo de forma oral, as bibliotecas tiveram um papel crucial na formação da cultura ocidental. “Tanto as bibliotecas da Antiguidade, quanto, mais tarde, as da Idade Média e da Moderna foram repositórios de saber e cultura sem os quais boa parte dos conhecimentos acumulados pela humanidade teriam sido perdidos. O Renascimento, por exemplo, só foi possível graças à preservação de textos de filósofos e cientistas clássicos, retomados séculos mais tarde”, ressalta.

No Oriente, segundo Merege, não era diferente, e o conhecimento acumulado dos orientais influenciou, inclusive, as grandes navegações, que tomaram impulso na Península Ibérica a partir do século XV. “Durante séculos ela esteve sob o domínio muçulmano, e pôde aproveitar a tecnologia e as instituições – avançadíssimas para a época – que eram mantidas pelo Islã. Em Córdoba e Granada, assim como em Bagdá, havia hospitais, observatórios e bibliotecas, e o número de leitores era muito maior do que no restante da Europa”, afirma. Merege destaca, assim, a importância dos livros e das bibliotecas para as civilizações do Oriente. “Na Índia, nos séculos VIII-V antes de nossa era, existiam universidades que mantinham extensas bibliotecas de obras escritas sobre folhas de palmeira; a China e o Japão também têm livros e bibliotecas milenares. O papel surgiu, inclusive, na China e foi trazido para o Ocidente pelos muçulmanos. E em todos esses países existe uma tradição que mantém e valoriza a cultura escrita, os livros e as bibliotecas”, conclui.

Fonte: http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=65&id=822