FILOSOFIA PARA TODOS: 95 obras inéditas para download

Segue abaixo lista inédita com mais ou menos 95 obras de filosofia, composta em sua maioria por coletas em nosso grupo(Arquivos Kronos). Agradecemos aos semeadores.

Boa leitura!

https://drive.google.com/folderview?id=0B4UG_F2QeFUlUDEzLVZMUldvX28&usp=sharing

  • AGOSTINHO, Santo. Confissões; De magistro [coleção os pensadores]
  • ALVES, Rubem. Filosofia da ciência
  • BACHELARD, Gaston. A poética do espaço
  • BERLIN, Isaiah. Quatro ensaios sobre a liberdade
  • BONOMI, Andrea. Fenomenologia e estruturalismo
  • BUTLER, Judith. El genero en disputa [español]
  • BUTLER, Judith. Lenguaje, poder e identidad [español]
  • BUTLER, Judith. Marcos de Guerra [español]
  • BUTLER, Judith. Mecanismos psíquicos del poder [español]
  • BUTLER, Judith. Problemas de Genero 1-2
  • BUTLER, Judith. Sujetos del deseo – reflexiones hegelianas en la Francia del siglo XX
  • BUTLER; ATHANASIOU. Dispossession – the performative in the political
  • BUTLER; HABERMAS; TAYLOR. The Power of Religion in the Public Sphere
  • BUTLER; LACLAU; ZIZEK. Contingencia, hegemonia, universalidad
  • BUTLER; SCOTT. Feminists theorize the political
  • CIORAN, Emil. Silogismos da Amargura
  • DAVIDSON, Donald. Ensayos sobre acciones y sucesos
  • DELEUZE, Gilles. Francis Bacon – lógica da sensação
  • DELEUZE; GUATTARI. Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia, vol. I
  • ENGELS, F. A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado
  • FEUERBACH, L. Princípios da filosofia do futuro
  • FLUSSER, Vilém. Filosofia da Caixa Preta – Ensaios para uma futura filosofia da fotografia
  • GAGNEBIN, Jeanne Marie. Historia e narração em Walter Benjamin
  • GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar Escrever Esquecer
  • HAACK, Susan. Filosofia das lógicas
  • HAMLYN, D. Uma história da filosofia ocidental
  • HARDT; NEGRI. Império
  • HEGEL, G. Enciclopedia de las ciencias filosóficas [español]
  • HEIDEGGER, Martin. Nietzsche. Tomo I
  • HEIDEGGER, Martin. Nietzsche. Tomo II
  • HUME, D. Resumo de um tratado da natureza humana
  • HYPPOLITE, Jean. Ensaios de Psicanálise e Filosofia
  • KANT, I. A paz perpétua
  • KENNY, Anthony. História Concisa da Filosofia Ocidental
  • KIERKEGAARD, Sören. El concepto de la angustia
  • KOJÈVE, A. Introducao a leitura de Hegel
  • KONDER, Leandro. Hegel – a razão quase enlouquecida
  • LATOUR, Bruno. A vida de laboratório
  • LUKÁCS, G. Introdução a uma estética marxista
  • LUKÁCS, G. The sociology of modern drama
  • MACHADO, Roberto. Deleuze, a arte e a filosofia
  • MARCONDES, Danilo. Introdução à história da filosofia
  • MARCUSE, Herbert. Algumas implicações sociais da tecnologia moderna
  • MARX, Karl. A ideologia alemã (boitempo)
  • MARX, Karl. Diferencia general entre filosofia democritea y epicurea de la naturaleza [Tese de Doutorado 1841]
  • MARX, Karl. O capital
  • MARX, Karl. Sobre a questão judaica
  • MÉSZÁROS, István. A Atualidade Histórica da Ofensiva Socialista
  • MÉSZÁROS, István. A Educação Para Além do Capital
  • MÉSZÁROS, István. A Necessária Reconstituição da Dialética Histórica
  • MÉSZÁROS, István. A Obra de Sartre
  • MÉSZÁROS, István. Aspects of History and Class Consciousness
  • MÉSZÁROS, István. Bolívar and Chávez – The Spirit of Radical Determination
  • MÉSZÁROS, István. Crise Estrutural Necessita de Mudança Estrutural
  • MÉSZÁROS, István. El Desafio y La Carga Del Tiempo Histórico
  • MÉSZÁROS, István. Entrevista – Marxismo, sistema do Capital e Socialismo Hoje
  • MÉSZÁROS, István. Filosofia, Ideologia e Ciência Social
  • MÉSZÁROS, István. Lukács Concept of Dialectic
  • MÉSZÁROS, István. O Desafio e o Fardo do Tempo Histórico – Conferência
  • MÉSZÁROS, István. O Século XXI – Socialismo ou barbárie
  • MÉSZÁROS, István. Para Além do Capital
  • MÉSZÁROS, István. Reflections on the New Internacional
  • MÉSZÁROS, István. Socialismo o Barbarie
  • MÉSZÁROS, István. Structural Crisis Needs Structural Change
  • MÉSZÁROS, István. The Challenge and Burden of Historical Time
  • MÉSZÁROS, István. The Communal System and the Principle of Self Critique
  • MÉSZÁROS, István. The Dialectic of Structure and History – An Introduction
  • MÉSZÁROS, István. The Work of Sartre
  • MILL, John Stuart. Princípios de Economia Política – Vol I
  • MUSSE; LOUREIRO. Capítulos do marxismo ocidental
  • NIETZSCHE, F. A filosofia na época trágica dos gregos
  • NIETZSCHE, F. A filosofia na idade trágica dos gregos
  • NIETZSCHE, F. A visão dionisíaca do mundo
  • NIETZSCHE, F. Escritos de Retórica
  • NIETZSCHE, F. Introdução à tragédia de Sófocles
  • NIETZSCHE, F. Sobre verdade e mentira
  • NIGRO, Rachel. A virada linguistico pragmatica e o pós-positivismo
  • PALMER, R. Hermeneutica
  • PELBART, Peter. O avesso do niilismo cartografias do esgotamento
  • RANCIÈRE, J. A ficção documental
  • RANCIÈRE, J. Aisthesis. Scenes from the Aesthetic Regime of Art
  • RANCIÈRE, J. Momentos politicos
  • RUSSELL, Bertrand. El ABC de la relatividad
  • RUSSELL, Bertrand. Funções de um professor
  • RUSSELL, Bertrand. Mysticism and logic and other essays
  • RUSSELL, Bertrand. Our knowledge of the external world
  • RUSSELL, Bertrand. The conquest of happiness
  • SAFATLE, V. Curso sobre Hegel
  • SIMONDON, G. A gênese do indivíduo
  • SLOTERDIJK, Peter. Critica de la razon cinica
  • SLOTERDIJK, Peter. Mobilização copernicana e desarmamento ptolomaico
  • SLOTERDIJK, Peter. O desprezo das massas
  • SLOTERDIJK, Peter. Regras para o parque humano (uma resposta à carta de Heidegger)
  • SLOTERDIJK, Peter. Temperamentos filosóficos – de Platón a Foucault
  • SLOTERDIJK, Peter. Textos
  • UHLMANN, Günter Wilhelm. Teoria geral dos sistemas

Fonte: http://sociedadedospoetasamigos.blogspot.com.br/2015/03/filosofia-95-obras-ineditas-para.html

 

Anúncios

Imaginário e Literatura: livros que valorizam a cultura brasileira e africana

Conheça mais sobre essa cultura tão presente no nosso imaginário

 

Literaturas que valorizam a diversidade étnica e cultural afro-brasileira e africana são uma ótima alternativa para abordar os conteúdos exigidos pela lei 10.639, que obriga o ensino da “História e Cultura afro-brasileira e africana” nas escolas de Ensino Fundamental e Médio das redes pública e privada de todo Brasil.

Veja 14 dicas de livros recomendados para pais, filhos e professores sobre o tema. Confira também o índice de autores negros do Literafro, portal de estudos de literatura afro-brasileira da Universidade Federal de Minas Gerais.

Para ler, clique nos itens abaixo:

1. Menina Bonita do Laço de Fita – Ana Maria Machado
A autora coloca em cena, através da história de um coelho branco que se apaixona por uma menina negra, alguns assuntos muito debatidos nos dias de hoje, como a auto-estima das crianças negras e a igualdade racial.
2. Luana, A Menina Que Viu O Brasil Neném – Oswaldo Faustino, Arthur Garcia e Aroldo Macedo
O livro conta a história de Luana, uma menina de 8 anos que adora lutar capoeira, e a historia do descobrimento do Brasil. Ao lado de seu berimbau mágico, ela leva o leitor a outras épocas e lugares e mostra o quão rica é a cultura brasileira, além da importância das diferentes etnias existentes por aqui.
3. O Menino Marrom – Ziraldo
O Menino Marrom conta a historia da amizade entre dois meninos, um negro e um branco. Através da convivência aventureira dessas crianças ao longo de suas vidas, o autor pontua as diferenças humanas, realçando os preconceitos em alguns momentos.
4. Lendas da África – Júlio Emílio Brás
O livro mostra fábulas tipicamente africanas para leitores de todo mundo. Nas histórias, o autor mostra um pouco do folclore africano, além de passar valores do “tempo em que os animais ainda falavam” para as crianças.
5. Terra Sonâmbula – Mia Couto
Primeiro livro do autor africano, Terra Sonâmbula foi considerado um dos doze melhores romances do continente no século 20. Numa estória emocionante sobre o encontro de um menino sem memória e um velhinho meio perdido pelo mundo, Mia Couto mistura símbolos tradicionais da cultura e da história moçambicana.
6. Meu avô um escriba – Oscar Guelli
A história se passa na África, mais precisamente no Egito. O pequeno Tatu é neto de um escriba. A convivência com o avô permitirá ao menino aprender cálculos, a ter contato com tradições mais antigas de seu país e a se preparar para também ser um escriba um dia.
7. O Cabelo de Lelê – Valéria Belém
Lelê é uma linda menininha negra, que não gosta do seu cabelo cheio de cachinhos. Um dia, através de um fantástico livro, começa a entender melhor a origem de seu cabelo e, assim, passa a valorizar o seu tipo de beleza.
8. A varanda Do Frangipani – Mia Couto
O romance policial moçambicano é marcado por palavras criadas pelo próprio autor, nascido no país onde se passa a trama. A história conta sobre o violento colonialismo em Moçambique e a superação do país a partir dessa cicatriz histórica.
9. Bia na África – Ricardo Dregher
O livro é parte da coleção “Viagens de Bia”. Nessa estória, Bia viaja por diferentes países da África, como Egito, Quênia e Angola. Na aventura, a garotinha conhece, entre outras curiosidades, a história do povo árabe e dos nossos antepassados negros, que vieram como escravos da África para o Brasil há muitos anos.
10. Avódezanove e o segredo do soviético – Ondjaki
Em Luanda, capital da Angola, África, as obras de um mausoléu realizadas por soldados soviéticos ameaçam desalojar morados da PraiaDoBispo, bairro da região. As crianças do bairro percebem as mudanças com olhares desconfiados. Talvez elas sejam as primeiras a perceber que a presença dos soldados soviéticos significa mais do que uma simples reforma espacial.
11. Tudo Bem Ser Diferente – Todd Parr
A obra ensina as crianças a cultivar a paz e os bons sentimentos. O autor lida com as diferenças entre as pessoas de uma maneira divertida e simples, abordando assuntos que deixam os adultos sem resposta, como adoção, separação de pais, deficiências físicas e preconceitos raciais.
12. Diversidade – Tatiana Belinky
O livro mostra, através de versos, porque é importante sermos todos diferentes. A autora fala que não basta reconhecer que as pessoas não são iguais, é preciso saber respeitar as diferenças.
13. Num tronco de Iroko vi a Iúna cantar – Erika Balbino
Acompanhando as aventuras dos irmãos Cosme, Damião e Doum e seus amigos, os leitores entram em uma jornada que revela a relação do corpo com a música e aproxima as crianças da capoeira por meio de figuras lendárias das religiões de matriz africana. Além do enredo e das ilustrações do grafiteiro Alexandre Keto, um CD com a narração da história pela própria autora e cheio de cantos de capoeira e de Umbanda valorizam ainda mais essa luta, que é apresentada como dança, arte e jogo também.
14. Amanhecer Esmeralda – Ferréz
O livro conta a história da garota Manhã, negra, pobre e com grandes responsabilidades mesmo com tão pouca idade. Manhã tem sua vida transformada ao ganhar um vestido esmeralda de seu professor, que faz com que ela mude a forma como se vê e como vê o mundo ao seu redor.

Fonte: http://educarparacrescer.abril.com.br/leitura/12-dicas-literatura-afro-brasileira-africana-729395.shtml

Didáticos: Cultura e História africanas chegam às escolas públicas

Rovênia Amorim – MEC – 22/11/2011

As escolas públicas vão receber no ano letivo de 2012 livros didáticos sobre a história e a cultura africana e afro-brasileira.  Serão distribuídas obras para alunos da educação infantil ao ensino médio. A proposta dessa iniciativa é proporcionar aos alunos a compreensão do desenvolvimento histórico dos povos africanos e de sua relação com outros povos, a partir de uma visão objetiva do continente africano.

O material tem como referência os oitos volumes da coleção História Geral da África. Editada em português graças à parceria entre a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) e o Ministério da Educação, a obra completa foi enviada às bibliotecas públicas em 2011. As escolas receberão também dois livros síntese da obra completa da História Geral da África, com conteúdos relacionados à história, cultura, economia, política e arte.

“Temos ainda no Brasil a cultura do embranquecimento da população e a negação de toda uma cultura afro-descendente que também construiu este país”, ressalta Viviane Fernandes Faria, diretora de políticas para educação no campo e diversidade do MEC.

A inclusão da temática história e cultura afro-brasileira no currículo da educação básica das escolas públicas e particulares está prevista na Lei 10.639, de 2003.  Além da história da África e dos africanos, o conteúdo deve incluir a luta dos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional.

Segundo a diretora, ainda existe uma grande diferença de escolaridade entre as pessoas, com mais de 15 anos, entre a população negra e os não negros. A escolaridade é de 8,4 anos de estudo entre os não negros e 6,6 anos entre os negros. “Só que apesar dessa diferença, o avanço na escolaridade dos negros tem sido mais rápido em relação à dos não negros. Enquanto que de 2004 a 2009 houve crescimento de 9% em anos de estudo entre os não negros, entre os negros foi de 14,5%”, compara.

No entanto, Viviane Faria comenta que o Brasil ainda tem uma dívida social com os afro-descendentes. “Se o analfabetismo é maior entre os negros e os maiores índices de pobreza estão entre os não brancos, vamos ver claramente que a pobreza e as dificuldades salariais e de acesso à universidade têm cor no Brasil. E essa cor é negra. Então precisamos, sim, enfrentar esse racismo na escola e na sociedade”, afirma.

Fonte: Blog do Galeano – http://www.blogdogaleno.com.br/texto_ler.php?id=10907&secao=32

Eventos Interessantes: Biblioteconomia e Ciência da Informação

Veja a relação dos últimos eventos, previstos para o 2o. semestre de 2011:

27/11/2011 à 30/11/2011
VII Seminário Nacional de Bibliotecas Braille – SENABRAILLE
O VII Seminário Nacional de Bibliotecas Braille (SENABRAILLE) será realizado de 27 a 30 de novembro de 2011, em Campinas, no Centro de Convenções da UNICAMP, e terá como tema central Bibliotecas: espaços acessíveis a múltiplos usuários.

Será organizado pela Unicamp – Coordenação Geral da Universidade (CGU) e Sistema de Bibliotecas (SBU) – e pela Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários, Cientistas da Informação e Instituições (FEBAB).

Com participação de representantes de bibliotecas públicas e universitárias, entidades da sociedade civil e profissionais de várias áreas, o Evento tem por objetivo discutir diversas temáticas, como políticas públicas, empregabilidade, tecnologias assistivas, artes e, principalmente, permitir o compartilhamento de experiências entre pessoas dispostas a redesenhar novos conceitos para a Biblioteca ao defini-la com uma organização acessível a múltiplos leitores, oferecendo uma oportunidade para debater, discutir e unir esforços para a construção de um ambiente mais acessível.

Espera-se com esta edição do Evento a manutenção de um espaço de diálogo, exposição e reflexão sobre as tendências, tecnologias e desafios que a área da informação enfrenta quando o tema é Acessibilidade.

Para tanto, o VII Senabraille conta especialmente com a assessoria de uma Comissão de Acompanhamento na Área de Acessibilidade, formada por profissionais envolvidos com a causa e pessoas com deficiência, que contribui para o planejamento do Seminário, definindo questões de forma a garantir a acessibilidade de seus participantes e indicando as especificações dos serviços a serem prestados. A Comissão orienta, acompanha, verifica e monitora as diferentes fases do projeto, apontando ajustes na efetivação das necessidades para se alcançar os objetivos desejados.

Informações disponíveis no site.

Site: Clique aqui

18/10/2011 à 20/10/2011
II Fórum Internacional de Biblioteconomia Escolar e V Seminário Biblioteca Escolar: A Prática em Evidência
Apresentação
O II Fórum Internacional de Biblioteconomia Escolar – V Seminário Biblioteca Escolar: A Prática em Evidência reunirá pesquisadores nacionais e internacionais para debater três temas
Comunidades de Prática
Competências em Informação
Pesquisas e Investigação
Analisará as mudanças desafiadoras no ambiente da educação e da escola bem como refletir sobre o papel do profissional que atua na biblioteca escolar.

Objetivos
Analisar as mudanças desafiadoras no ambiente educacional, oriundas das novas tecnologias e redes sociais, as quais refletem diretamente no papel de educador.
Compreender a importância da Competência em Informação na formação dos estudantes e atualização dos profissionais da Educação.
Promover a pesquisa e investigação na área de Biblioteconomia escolares.
Estimular a criação de grupos e fóruns permanentes para discussão e desenvolvimento da Biblioteconomia escolar no Brasil.

De 19 a 21 de outubro
Local: Auditório do Centro de Estudos e Pesquisas de Administração Municipal – CEPAM
Avenida Professor Lineu Prestes, 913 – Cidade Universitária.
Informações e inscrições: www.fibe2011.com.br
Aproveite os descontos concedidos!
E-mail para contato: faleconosco@fibe2011.com.br

O evento é organizado pelo Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB) e International Association of School Librarianship – (IASL)

Site: Clique aqui

11/10/2011 à 15/10/2011
XII Congresso Internacional de Brinquedotecas: “A Brinquedoteca de Hoje em Dia”
II Encontro Internacional de Pesquisadores sobre Brinquedotecas

Apresentação
A Associação Brasileira de Brinquedotecas, ABBri, filiada à International Toy Libraries Association, ITLA, traz pela primeira vez este evento à América, agora em 12ª. Edição, havendo já sido realizado na Europa, Ásia, África e Austrália, a cada três anos. A partir da constatação de que o conceito de brinquedoteca e sua operacionalização vem tendo uma contínua transformação, com o passar do tempo, este Congresso se propõe a oferecer condições de uma ampla reflexão sobre a trajetória das brinquedotecas, analisando os caminhos que vêm tomando, suas conquistas, desafios e dificuldades, em nível internacional, a fim de preservar sua genuína contribuição à divulgação da importância do brincar.
Diferentes formas de compreender e pôr em prática uma brinquedoteca estão em curso. Os ambientes se diversificam e multiplicam. Brinquedotecas hospitalares humanizam o ambiente, promovem adesão ao tratamento e fornecem apoio às famílias. A escola redescobre a alegria do brincar e sua imensa contribuição para a motivação da aprendizagem e a busca do conhecimento. A valorização da brinquedoteca pelas universidades cresce. Os jogos invadem o campo empresarial evidenciando seu potencial agregador e heurístico. O papel da brinquedoteca se afirma frente aos avanços das ciências humanas e biológicas que confirmam a importância do lúdico para o desenvolvimento, preservação e recuperação de habilidades e competências físicas, psicológicas e sociais.
Essas transformações se acentuam com o ingresso da brinquedoteca no ambiente digital. A utilização da informática no dia-a-dia das brinquedotecas em suas diversas modalidades, com seus fatores de proteção e risco nas diversas faixas etárias e nos diversos ambientes, necessita de uma ampla discussão, com a participação de profissionais e acadêmicos da Educação, da Saúde e da Comunicação, entre outros, com apresentação de resultados de investigações e relatos de experiência em diversos países e continentes. De forma complementar, este congresso enfatiza a importância da utilização da rede digital como meio de comunicação e atualização entre as diversas associações nacionais de brinquedotecas e delas com a International Toy Labraries Association, ITLA; assim como entre brinquedotecas regionais, pesquisadores, etc. , em newsletters e websites.
Ressalta ainda a necessidade da discussão sobre a formação do brinquedista, a qual requer, hoje em dia, uma complementação específica relativa aos diversos ambientes onde vai atuar (escola, hospital, empresa, etc.).
Este congresso, organizado pela ABBri, dá continuidade a anteriores e baseia-se nas diretrizes da ITLA.

Objetivos
O conceito de brinquedoteca, como qualquer outro, sofre uma contínua transformação ao passar do tempo, tanto em teoria como em sua aplicação prática. Nesse sentido, este Congresso tem por objetivo criar condições de uma ampla reflexão sobre a trajetória das brinquedotecas, analisando os caminhos que vêm tomando, suas conquistas, desafios e dificuldades, a fim de preservar sua genuína contribuição à divulgação da importância do brincar.

Data
11 à 15/10/2011

Local do Evento
Fundação Memorial da América Latina
Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664
01156-001 – Barra Funda – São Paulo SP
Telefone: 11 3823.4600
São Paulo – Brasil

Contato
faleconosco@itlaconference2011.com.br

Mais informações no site.

Site: Clique aqui

07/10/2011 à 08/10/2011
30º Painel Biblioteconomia em Santa Catarina e VII Fórum Estadual de Bibliotecas Escolares
A Associação Catarinense de Bibliotecários (ACB) reconhecida como Utilidade Pública Estadual aos 36 anos de sua existência, busca além dos objetivos do associativismo, colaborar com a sociedade a partir de práticas que promovam a responsabilidade e inclusão social, a nacionalidade e cidadania, o acesso a informação e a educação continuada dos profissionais bibliotecários e cientistas da informação.

Neste evento, a ACB reunirá formadores de opinião que atuam em Bibliotecas, Centros de Documentação e Informação dos segmentos do primeiro, segundo e terceiro setor de Santa Catarina e de outros Estados.

No 30º Painel de Biblioteconomia em Santa Catarina, a ACB espera contar com um grande público aliando toda a Região Sul, Federação Brasileira de Biblioteconomia, Cientistas da Informação e Instituições, Conselhos Regionais, Órgãos do Governo Federal, Estadual e Municipal e demais instituições.

OBJETIVOS

Iniciado em 1982, o Painel Biblioteconomia em Santa Catarina se consolida como um fórum anual que chega a sua 30ª edição almejando os seguintes objetivos:

– Aprimorar a prática profissional dos bibliotecários catarinenses propiciando educação continuada aos mesmos.
– Divulgar e compartilhar experiências, resultados de pesquisas e estudos da área de Biblioteconomia e Ciência da Informação realizados em Santa Catarina e em outras regiões do país.
– Promover debates que contribuam com a sociedade na realização de projetos e reivindicações de ações ao entendimento de nacionalidade, cidadania e responsabilidade e inclusão social.
– Socializar práticas e vislumbrar oportunidades de intervenção política da classe bibliotecária catarinense no sentido de projetar ações relacionadas ao fazer profissional/político no sentido de fortalecer a categoria e projetá-la na sociedade catarinense.

PÚBLICO-ALVO

Bibliotecários, arquivistas, cientistas da informação, professores, estudantes de Biblioteconomia e Arquivologia, auxiliares de biblioteca, técnicos em biblioteconomia, profissionais com atuação em bibliotecas escolares, públicas, universitárias, especializadas e populares, e outros profissionais de áreas afins.

Tema do Painel: A Comunicação Científica e os Profissionais da Informação: a produção científica e educação continuada

Tema do Fórum: O profissional da Informação e a pesquisa em biblioteca escolar

Dias 07 e 08 de outubro de 2011
Local: Universidade do Estado de Santa Catarina
Av. Madre Benvenuta, 2007 – Itacorubi.
Florianópolis – SC

Site: Clique aqui

03/10/2011 à 04/10/2011
IV Encontro de Gestão da Informação e do Conhecimento em Acervos Esportivos no Estado de São Paulo
É com prazer que o Centro de Documentação e Biblioteca – CEDOC, da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação – SEME, da cidade de São Paulo, anuncia que foram iniciados os preparativos para a realização do IV Encontro de Gestão da Informação e do Conhecimento em Acervos Esportivos no Estado de São Paulo, previsto para os dias 3 e 4 de outubro de 2011.

TEMA: Estratégias e iniciativas de sustentabilidade nas áreas de esporte, lazer e recreação: contribuição à gestão do conhecimento.
Temas correlatos: inclusão social, bioconstrução (técnica de construção que utiliza os conceitos da reutilização e da reciclagem, reduzindo o uso de recursos naturais), reciclagem, legados, capacitação de pessoas, curso de empreendedorismo, hábitos saudáveis e atitudes de prevenção a doenças, ética (conduta sustentável), responsabilidade social, direitos humanos, meio ambiente, gestão, parcerias.

OBJETIVO: promover reflexão, por parte dos profissionais e estudantes de Educação Física, Biblioteconomia, Informação, Comunicação e demais áreas do conhecimento, sobre o tema apresentado, com exposição de propostas, resultados e conseqüências. O CEDOC entende como sua responsabilidade incitar e incentivar a produção e socialização de conhecimento científico na área esportiva.

PÚBLICO ALVO: Profissionais e estudantes das áreas de Educação Física, Esporte, Lazer, Recreação, Biblioteconomia, Informação, Comunicação, e demais interessados pelo tema

LOCAL: Auditório Paulo Kobayashi
Assembléia Legislativa de São Paulo
Av. Pedro Álvares Cabral, 201
São Paulo – SP – Brasil

Período de inscrições: De 20 de junho de 2011 até o encerramento do número de vagas (180 – cento e oitenta) – Evento gratuito.

Ficha de Inscrição

PROGRAMA: Em construção

CONTATO:
CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA – CEDOC/SEME
Al. Iraé, 35 – Indianópolis
CEP 04075-000 São Paulo – SP – Brasil
Tel.: (11) 3396-6453/6490
e-mail: seme.biblioteca@prefeitura.sp.gov.br / mbotelho@prefeitura.sp.gov.br

Site: Clique aqui

28/09/2011 à 30/09/2011
VI Fórum Nacional de Bibliotecários dos Institutos Federais de educação, Ciência e Tecnologia

TEMA: Administração das bibliotecas dos Institutos Federais

Blog: http://forum2011if.blogspot.com/

Subtemas:
Qualidade, Planejamento e Marketing nas bibliotecas

Local: Petrolina – PE
Data: 28 a 30/09

O FÓRUM NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ao longo da sua história vem proporcionando a capacitação de bibliotecários das Instituições Federais de Ensino, discutindo temas relevantes relacionados à Biblioteconomia, assim como as condições das práticas destes nos seus ambientes de trabalho, visando à melhoria dos serviços prestados pelas unidades de informação.

O Fórum é um evento destinado aos profissionais bibliotecários que compõem o quadro permanente dos IFs, com periodicidade anual e desde o ano de 2005, os CEFETs (atual IFs) têm sediado em diferentes cidades.

Site: Clique aqui

08/09/2011à08/09/2011
Colóquio Internacional E-books e o futuro das bibliotecas : evolução ou revolução?
O Goethe-Institut São Paulo, a Maison de France e o Instituto Cervantes com o apoio da Fundação Memorial da América Latina convidam para o colóquio internacional

E-books e o futuro das bibliotecas : evolução ou revolução?


O colóquio tem por objetivo discutir a mudança da leitura no papel impresso, existente há quase 600 anos para a leitura digital e interativa. Os e-books estão se transformando em produto de massa, modificando de forma definitiva o modelo tradicional das bibliotecas e dos negócios editoriais.

Data: 8 de setembro de 2011, 5ª feira
Horário: 8h às 17h30
Local: Auditório Simon Bolívar
Fundação Memorial da América Latina
Avenida Auro Soares de Moura Andrade 664
São Paulo – Capital
Estação Barra Funda do metrô – estacionamento no local

Tradução simultânea

Inscrição gratuita e antecipada através do email biblioteca@saopaulo.goethe.org ou telefone 11-3296-7051, constando nome completo, instituição e email
É obrigatória a apresentação de RG original para o empréstimo dos fones de tradução

Programação

8h – Recepção e credenciamento

9h – Abertura

9h30 – Estado atual da questão: oferta, negociação, valorização e uso dos e-books nas bibliotecas acadêmicas francesas
Claire Nguyen, bibliotecária, diretora do Consórcio Couperin da Bibliothèque Interuniversitaire de Santé Paris
Os e-books estão presentes nas bibliotecas acadêmicas desde 2007. Entretanto, os bibliotecários franceses reclamam de uma falta de qualidade na ofertas desse suporte em sua língua, oferta irregularmente repartida segundo as disciplinas e os níveis relativos a cada uma delas, sendo mal adaptada à demanda. Por esta razão, os negociadores do consórcio Couperin tentam construir a oferta e seus modelos conjuntamente com os editores, a fim de sustentar o desenvolvimento dos e-books. É necessário igualmente valorizá-los (por meio de descrições e pela sua promoção), o que permitirá desenvolver também seu uso. A célula e-books do consórcio Couperin acompanha ativamente esse processo, tanto no terreno da biblioteconomia quanto no dos consumidores – e minha intervenção é uma síntese desse processo.

10h30 – Experiências com e-books em uma biblioteca pública alemã
Frank Daniel, bibliotecário, diretor do departamento de serviços escolares e serviços eletrônicos da Stadtbibliothek Köln (Biblioteca Pública de Colônia)
Cada vez menos a nova geração compreende o sentido e a finalidade das bibliotecas. Na Internet pode-se obter informações atuais gerais e especializadas em qualquer hora e lugar. Além disso, houve um enorme aumento do uso de Smartphones, iPads, Tablet-PCs e e-Readers móveis. Juntamente com as lojas virtuais de e-books da Amazon, Apple e Google esta é uma ameaça real para o conteúdo tradicional das bibliotecas. Para continuar realizando sua tarefa clássica, uma biblioteca também deve disponibilizar na Internet fontes eletrônicas atrativas aos seus leitores, não acessíveis de forma gratuita. Uma possibilidade é o empréstimo digital online através da Firma DiViBib. Ele permite que usuários de bibliotecas façam o empréstimo de conteúdo digital licenciado pelas editoras como livros, audio-livros, músicas, filmes e jornais. O uso é por um período pré-determinado, através de download no computador ou dispositivo móvel do leitor. Em 2007 a Biblioteca Pública de Colônia foi biblioteca piloto e desde o princípio pode acompanhar a evolução do projeto. Atualmente são mais de 250 bibliotecas participantes, algumas delas também disponibilizam e-Readers para empréstimo. A palestra discute as seguintes questões: como funciona o empréstimo digital online e como é a experiência da Biblioteca Pública de Colônia? Como são disponibilizados os e-Readers? O que dizem os leitores? Quais as vantagens e desvantagens do empréstimo digital? Quais as alternativas para as bibliotecas públicas? Como será o futuro?

11h30 – discussão plenária

12h00 – intervalo para almoço – há restaurante por quilo no Memorial da América Latina

13h30 – O e-book, um desafio à criatividade: o caminho a seguir sob a ótica da Espanha
Antonio Rodríguez de las Heras, doutor em Letras e Filosofia, diretor do Instituto de Cultura y Tecnologia da Universidad Carlos III de Madrid
Esta apresentação divide-se em duas partes. A primeira, dedicada a uma exposição das características deste fenômeno cultural que gera a mudança do suporte da escrita. A passagem do papel ao suporte digital provoca um efeito dominó que alcança o livro códice, a edição, a distribuição, os modos de leitura e a escrita. Todas as manifestações seculares da cultura escrita se vêem afetadas. A indicação de todos estes fenômenos de mudança será um dos objetivos desta primeira parte. Mudanças no artefato de leitura, no espaço de leitura (da página para a tela), na escrita (do texto ao hipertexto; da ilustração à escrita multimídia) e do conceito de obra (da encadernação à “nuvem”). Apresentado este panorama que altera o até então estabelecido, a segunda parte estará centrada na resposta que as editoras (e os novos modelos de negócio), as bibliotecas (e a sua busca por novas funções), os hábitos e a mentalidade dos leitores e a criação dos escritores na Espanha.

14h30 – O cenário editorial francês em matéria de e-books
Jean-Michel Ollé, editor, diretor editorial da Hachette Livre International
Desde 2010, a edição francesa entrou, após muita hesitação, na era digital. Os catálogos digitais começaram a ganhar corpo. A oferta às bibliotecas, historicamente limitadas nestes últimos anos às revistas e publicações científicas, se diversifica em direção à Literatura e às Ciências Humanas.
Subsistem ainda numerosos problemas, jurídicos, técnicos e comerciais – em termos de controle de preços, de respeito à propriedade intelectual, de interoperacionalidade de dados etc. Mas esses problemas vão sendo identificados e, pouco a pouco, a profissão se organiza para oferecer ao público e às bibliotecas conteúdos de qualidade no formato e-book.

15h30 – Intervalo para café

16h – E-books: um belo e novo mundo?
Christoph Freier, administrador de empresas, diretor da divisão de Entretenimento da GfK Panel Services Deutschland
Na Alemanha, o ainda jovem mercado de comércio via download foi responsável por cerca de 5% dos gastos com entretenimento no ano de 2010. Também no mercado de livros são aguardados novos impulsos através dos e-books. Neste contexto e tendo como exemplo o mercado alemão, as seguintes questões serão examinadas de forma mais detalhada:
– que papel o comércio de livros digitais desempenha se comparados a mercados de entretenimento vizinhos?
– em que medida o tema e-book é conhecido do consumidor final, qual a atitude do consumidor frente aos livros digitais? Quais barreiras existem? – Qual a situação atual do mercado de e-books? (tamanho, estrutura de vendas, gêneros, preços)
– Como é avaliado o mercado de e-books sob o ponto de vista das editoras e livrarias?
– Qual o potencial do mercado de e-books?

17h00 – Discussão plenária

26/08/2011 à 26/08/2011
III ENB – Encontro Nacional de Bibliotecários de IES & III Encontro Nacional de Bibliotecários Escolares
Data
26 de agosto de 2011

Local
HOTEL PARK INN IBIRAPUERA – Avenida Ibirapuera, 2534 – Moema – São Paulo-SP

Para quem se destina
Chefes, encarregados e bibliotecários de instituições de ensino.

Benefícios em participar deste Encontro
. Conhecerá as tendências do e-book e o seu impacto nas bibliotecas;
. Saberá o contexto atual dos bibliotecários e as diversas formas da censura;
. Terá informações sobre a realidade atual na gestão de bibliotecas e sistemas de informações acadêmicas;
. Conhecerá o que as gerações X, Y e Z esperam das bibliotecas da atualidade.

Site: Clique aqui

13/08/2011 à 13/08/2011
Curso de Capacitação Técnica em Gestão da Documentação Financeira e Bancária
Objetivos

Apresentar os conceitos e prática aplicada na gestão de acervos documentais da área financeira e bancária, de modo a ampliar e consolidar as competências dos profissionais que desempenham funções neste setor de atividade, tendo em vista a dinâmica e alta competitividade do mercado, bem como a necessidade de se mitigar o risco operacional através do controle e disponibilidade da documentação.

PROGRAMAÇÃO

Sistemas de Arquivo

• Histórico
• Conceitos
• Terminologia
• Teoria das três idades
• Arquivos especiais e especializados

Gestão Documental

• Legislação arquivística
• Avaliação de documentos: valores
• Instrumentos da gestão documental: plano de classificação e Tabela de Temporalidade
• Arquivamento: ordenação e arranjo

Breve Introdução ao Mercado Financeiro e de Capitais

• Sistema Financeiro Nacional
• Legislação
• Autarquias Reguladoras e Entidades Associativas
• Agentes Financeiros

Tratamento e Organização da Documentação Financeira e Bancária

• Introdução a Gestão de Acervos Financeiros
Tratamento do acervo(s):
• Administrativo
• Cadastro de Clientes Pessoa Jurídica e Pessoa Física
• Jurídico
• Crédito : Pessoal e Corporativo
• Fundos de Investimentos
• Financeiro

Administração de Acervos Financeiros

• A atuação de profissionais especializados em Arquivos e Centro de documentação na área Financeiro
• Controle de Rotinas Administrativas
• Arquivo Inativo
• Terceirização de Serviços

Controle

• Gestão de processos (BPM)
• Gestão de documentos (Cadastro, impressão)

Ferramentas de Gestão de Processos e GED

• Gestão de documentos (digitalização e transmissão), com visita de representante de uma empresa de soluções.
• Gestão de arquivos (soluções de captura, guarda e recuperação)

Início: 13 de agosto de 2011
Duração: 2 meses
Dia da Semana: Sábados
Horário: Sábados das 09h00 às 13h00.

Site: Clique aqui

08/08/2011 à 09/08/2011
II Fórum sobre Bibliotecas Públicas: Serviços de Informação e Mediação de Leitura
Chamada de Trabalhos – PRAZO PRORROGADO

A Coordenação Geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas – CGSNBP, da
Fundação Biblioteca Nacional – FBN, realizará no período de 8 e 9 de agosto de 2011,
no XXIII CBBD – Maceió/AL, o I I Fórum sobre Bibliotecas Públicas: serviços de
informação e mediação de leitura.

No período de 28/04 a 27/05 do corrente, a CGSNBP/FBN estará recebendo
trabalhos voltados para o tema do evento: “Serviços de informação e mediação de
leitura”, contendo os subtemas:
1) Serviços de informação para a comunidade;
2) Mediação de leitura nas bibliotecas públicas

Remeter trabalho para o e-mail: cgsnbp@bn.br e por sedex para:
Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas/Fundação Biblioteca Nacional
Rua da Imprensa, 16/11º andar – Centro
20030-120 – Rio de Janeiro – RJ
O resultado será divulgado no dia 10/06 no site http://www.bn.br/snbp e remetido por
e-mail para os autores.
Normas para apresentação dos trabalhos (Clique aqui)

Site: Clique aqui

07/08/2011 à 10/08/2011
XXIV CBBD – Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação

O XXIV CBBD pretende revelar o estado da arte das pesquisas, das práticas, e do desenvolvimento de produtos e serviços relacionados às bibliotecas, sistemas de informação, documentação e redes de bibliotecas no Brasil e do exterior, no contexto da sociedade da informação e do conhecimento.

O evento contemplará Sessões plenárias com palestras e conferências pela manhã; Sessões temáticas e Mesas redondas pela tarde, que darão a oportunidade aos participantes de conhecer fundamentos teóricos e experiências implementadas pelas unidades de informação sob os ângulos da Gestão, Comunicação e Tecnologia da informação em bases multidisciplinares, como também os aspectos sociais, econômicos e políticos em curso, e contemplando os aspectos do acesso eqüitativo e da diversidade a todas as pessoas. O evento proporcionará espaço para o debate e a formulação de recomendações, aperfeiçoamentos e ampliação de ações na área

Local: Centro Cultural e de Exposições de Maceió.

Abertas inscrições no evento
Para se inscrever no congresso, clique aqui.

As submissões de trabalhos foram encerradas!
Confira a lista dos trabalhos aprovados no site do XXIV CBBD.

Site: Clique aqui

05/08/2011 à 06/08/2011
Taxomania – do planejamento à implantação
Próximas turmas – São Paulo – SP (5 a 6 de agosto, 2011)

• 20/27 de agosto, aos sábados, Brasília-DF;
• 3/10 de setembro, aos sábados, Recife-PE;
• 17/24 de setembro, aos sábados, Belém-PA.

Facilitar a descoberta de um mar de informações com o mínimo de frustração e oferecer uma experiência de navegação e busca positiva para os clientes internos e externos são os objetivos críticos das organizações de hoje. E esses são os objetivos de uma ferramenta de taxonomia.

Se projetada, implantada e gerenciada corretamente, uma taxonomia se torna em um dos principais vetores para a inovação e melhoria da organização e recuperação da informação em web sites, intranets e sistemas de gerenciamento da informação.

O curso Taxonomia, do planejamento à implantação é um programa de capacitação modular criado para desenvolver as suas competências e permitir que você domine a teoria, o planejamento e a construção de uma taxonomia na prática.

Neste curso você irá:
• Conhecer o que é uma taxonomia;
• Conhecer o que o Gartner Group e outros institutos de pesquisas como Forrester Research dizem sobre essa ferramenta;
• Conhecer os diferentes tipos de taxonomias e seus usos por meio de um caso real implantado em uma empresa;
• Conhecer as normas e padrões internacionais para a construção de uma taxonomia;
• Conhecer as noções básicas para a criação de termos (conceitos) e as relações semânticas de acordo com a ANSI/NISO Z39.19;
• Experimentar e identificar na prática quais as funcionalidades que um software de gerenciamento de taxonomia deve ter;
• Criar na prática uma taxonomia (criar termos e construir relações semânticas entre eles) e simular o seu funcionamento integrado a um mecanismo de busca e a uma base de informação.

A quem se destina?
• Bibliotecários
• Cientistas da informação
• Arquivistas
• Arquitetos da informação
• Desenvolvedores de portais/intranets
• Profissionais da tecnologia da informação e comunicação
• Profissionais responsáveis pela gestão do conhecimento ou inteligência competitiva
• Profissionais responsáveis pela indexação, classificação ou o gerenciamento de conteúdos.

Investimento: Curso Taxonomia: do planejamento à implantação com desconto por pouco tempo!
Faça sua inscrição agora por apenas R$720,00!

Mais sobre o curso clique aqui ou acesse o site.

Site: Clique aqui

30/07/2011à30/07/2011
Palestra “A Usabilidade de Sites Jurídicos”
PALESTRA GRATUITA.

Palestrante: Dulce Mara de Oliveira
Graduada em Biblioteconomia e Documentação pela ECA/USP. Há 16 anos atua na área de gestão de informação e atualmente é Bibliotecária do Escritório Demarest e Almeida Advogados.

Objetivo:
Apresentar a prática do trabalho do bibliotecário quanto à usabilidade dos sites jurídicos.

Público-alvo:
Profissionais que atuam ou que querem ingressar em unidades de informação e documentação jurídica.

Cronograma:
09h – Abertura/Credenciamento
11h – Coffe Break
13h- Encerramento do evento.

Conteúdo do Workshop:
1 – Introdução
2 – Usuários da Informação
3 – Usuários e sua necessidade
4 – Usuários de Biblioteca
5 – Usuário da Biblioteca jurídica
6 – Internet
7 – Arquitetura da Informação
8 – Usabilidade
9 – A Importância da usabilidade
10 – Usabilidade de websites
11 – Usabilidade de sites jurídicos
12 – Comparando sites
13 – Acessibilidade na web
14 – Nas nuvens
15 – Considerações Finais
16 – Conclusão

Data: 30 de julho de 2011 (sábado)
Horário: 9h às 13h
Local: Conselho Regional de Biblioteconomia
Rua Maracajú, Nº 58 – Vila Mariana – São Paulo.
INSCRIÇÕES ENCERRADAS: caso queira ficar em uma lista de espera envie um e-mail para crb8@crb8.org.br informando: nome completo, nº do CRB, telefones, endereço de email e instituição em que trabalha.

30/07/2011 à 30/07/2011
XII Concurso Nacional de Contos
“Prêmio Ignácio de Loyola Brandão”

A Prefeitura de Araraquara, por meio da Secretaria Municipal da Cultura e Fundart, realiza o XII Concurso Nacional de Contos de Araraquara “Prêmio Ignácio de Loyola Brandão” que tem por objetivo o estímulo e o incentivo de novos escritores da literatura brasileira e é aberto à participação de brasileiros residentes em território nacional ou no exterior.

Regulamento

Site: Clique aqui

25/07/2011 à 27/07/2011
Cursos Content Digital
CURSO 1
UNIDADES DE INFORMAÇÃO NA WEB 2.0: conceitos, estratégias e práticas
3ª turma presencial!
Curso presencial com um micro por aluno
Instrutoras: Renate Landshoff e Suely de Brito Clemente Soares
Data: 25 e 26 de agosto de 2011 (quinta e sexta-feira)
Local: Av. Paulista – Próximo à estação de metrô Trianon-Masp – São Paulo, SP
Inscrições: http://www.contentmind.com.br/?page_id=710

CURSO 2
BOAS PRÁTICAS NA PRESERVAÇÃO DE DOCUMENTOS E INFORMAÇÕES DIGITAIS

1ª turma presencial!
Instrutor: Humberto Innarelli
Data: 27 de agosto de 2011 (sábado)
Local: Av. Paulista – Próximo à estação de metrô Trianon-Masp – São Paulo, SP
Inscrições: http://www.contentmind.com.br/?page_id=1379

Veja promoção para alunos da Content Mind e para quem fizer os dois cursos ! www.contentmind.com.br

A Content Mind apóia o curso:

TAXONOMIAS: DO PLANEJAMENTO À IMPLANTAÇÃO
Turma Presencial com um micro por aluno!
Instrutor: Geraldo Souza
Brasília – 20/27 de agosto 2011. (Dois sábados)
Local: Via Appia Informática. Sia Sul Qd. 4C Lote 56 – Edifício Sia Center I – Salas 201/205.
São Paulo – 02/03 de setembro de 2011 (sexta- feira e sábado)
Local: Avenida Paulista, 1159 16o. andar – Estação Trianon
Inscrições: www.experienciasemantica.com

Site: Clique aqui

25/07/2011 à 30/07/2011
XXXIV ENEBD – Encontro Nacional de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência e Gestão da Informação
Formação do profissional da informação: desafios, perspectivas e campos de atuação.

25 a 30 de julho de 2011

Local: UFAM

Programação, informações e inscrições você encontra no site.

Site: Clique aqui

20/07/2011 à 20/07/2011
Biblioteca: Montagem, Organização e Conservação de Acervos
O objetivo do curso é disseminar informações sobre montagem, organização, conservação e higienização de acervos em Biblioteca e Centros de Documentação e do ambiente para preservação, organização e divulgação de informações. Definição de conservação e restauração. O livro e suas partes. Motivos, danos e controle da deterioração de documentos. Catalogação.

Objetivos Específicos: Orientar sobre as rotinas básicas dos serviços realizados nas bibliotecas, cadastro dos números de chamada dos livros, verificação de exemplares doados, prática da higienização dos materiais bibliográficos do acervo em geral. Prevenir o pessoal que lida com livros e outros documentos para necessidade de controle de agentes que prejudicam sua conservação. Difundir noções de higienização como medida preventiva na conservação de documentos, detectando possíveis focos de deterioração dos materiais.

Palestrante: Maria Esther Mendes Perfetti – Graduada em Biblioteconomia e pós-graduada em Gerência de Sistemas e Serviços de Informação. Seu primeiro contato com os livros e alunos veio com o trabalho em biblioteca escolar no colégio Rainha da Paz de 1976 a dezembro de 1990, em São Paulo. De fevereiro de 1991 a junho de 2005 coordenou o Centro de Documentação da Editora Scipione do Grupo Abril Educação e atuou junto ao Departamento Editorial selecionando e encaminhando originais de livros para análise. É editora do portal Parceiros do Livro, Diretora da J&M Consultoria de Negócios com Livros, Editora-chefe do selo Infantil Pingo de Letra da Scortecci e Coordenadora da Escola do Escritor. É coautora do Guia do Profissional do Livro – Informações importantes para quem quer escrever e publicar um livro.

Data: 20 de julho de 2011 (quarta-feira)
Horário: 16h00 às 20h00
Preço: R$ 120,00

Sala de aulas:
Rua Mourato Coelho, 393 conjunto 1 (esquina com Rua Teodoro Sampaio) – Bairro de Pinheiros, São Paulo, SP
Telefone: (11) 3034-2981

Faça aqui a sua Inscrição: http://www.escoladoescritor.com.br/formulario.php?id=22

Site: Clique aqui

19/07/2011à19/07/2011
Lançamento do Livro Voltar a ler: propostas para ser uma nação de leitores
O Instituto Cervantes de São Paulo, a Companhia Editora Nacional e a Librería Española e Hispanoamericana convidam para a palestra de apresentação do livro Voltar a ler: propostas para ser uma nação de leitores do argentino Mempo Giardinelli.

VOLTAR A LER: PROPOSTAS PARA SER UMA NAÇÃO DE LEITORES
Em sua obra “Voltar a ler”, tradução e adaptação de “Volver a Leer”, o autor argentino Mempo Giardinelli expõe as propostas político-pedagógicas que foram implementadas na Argentina, mas que, sem dúvida, valem para toda a América Latina, e em nosso caso, como define o prólogo do professor José Castilho, diretor editorial de Editora da Unesp, e principal incentivador do PNLL, Plano Nacional do Livro e Leitura.
Já se sabe que sem leitura e sem livros, não há futuro digno possível para um país. Sem leitura, o destino dos povos é continuar na ignorância e ter uma pior qualidade de vida. Para enfrentar esta questão, que é crucial, é necessário que sejam desenvolvidas políticas públicas de fomento ao livro e à leitura.
As propostas de Giardinelli foram desenvolvidas com base em sua experiência de professor, jornalista e escritor, que há mais de duas décadas mantém uma intensa militância a favor da disseminação da leitura em seu país.
Vamos apresentar e discutir “Voltar a Ler”, que é uma obra indispensável para os promotores da leitura – professores, bibliotecários e militantes em geral da cultura e da educação.

Mempo Giardinelli
Escritor e jornalista. Nasceu em Resistencia, Chaco, República Argentina. Morou em Buenos Aires entre 1969 e 1976, foi exilado no México entre 1976 e 1984, e quando voltou fundou e dirigiu a revista “Puro Cuento” (1986-1992). Entre 1993 e 2000 passou a morar em Paso de la Patria, Corrientes. Desde 2001 mora em Resistencia.
É autor de novelas, livros de contos e ensaios, y escreve regularmente em jornais e revistas da Argentina e de outros países. Publicou artigos, ensaios e contos em meios de comunicação em quase todo o mundo.
Participantes na mesa: Mempo Giardinelli, autor; José Castilho, Diretor Editorial da Editora da Unesp e ex presidente do PNLL e Víctor Barrionuevo, Diretor da Librería Española, editor e tradutor do livro

Local: Auditório do Instituto Cervantes de São Paulo
Data: 19 de julho de 2011
Horário: 19h30

* Haverá venda de livros e sessão de autógrafos depois da palestra.

Instituto Cervantes de São Paulo
Av. Paulista, 2439
Metrô Consolaçao
Bela Vista
01311-300 São Paulo-SP
Tel.: 55 11 3897 96 00
Fax.: 55 11 3064 22 03
censao@cervantes.es
http://saopaulo.cervantes.es

 

11/07/2011 à 22/07/2011
Curso Assistente de Biblioteca
Data: 11 à 22 de julho
Horário: 19h30 às 21h30.
Gratuito
Serão oferecidas cerca de 50 vagas.
Local: Faculdade Anhanguera Educacional – Unidade Sumaré
Avenida Eugênio Biancalana Duarte, 501
Jardim Primavera – Sumaré – SP

Para participar, os interessados precisam ter mais de 15 anos.
Será emitido um certificado de participação.
As inscrições devem ser feitas pelo e-mail projetoanhangueradeinverno@gmail.com
ou pelo telefone (19) 3873-5871, falar com Kelen.

Docente: Wellington Correia de Oliveira CRB 8/8110
Bibliotecário Municipal de Sumaré
Formado em Biblioteconomia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio Mesquita Filho” – UNESP/Campus Marília.

Realização: Faculdade Anhanguera Educacional
Prefeitura Municipal de Sumaré – Rede de Bibliotecas Públicas de Sumaré.
Sociedade Amigos da Biblioteca Municipal de Sumaré

Site: Clique aqui

6a. edição Prêmio Vivaleitura 2011: inscrições abertas… Participe!

Estão abertas as inscrições para a 6ª edição do Prêmio Vivaleitura. Integrado ao Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL), o prêmio foi criado em 2006 por iniciativa do Ministério da Educação (MEC), do Ministério da Cultura (MinC) e da Organização de Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), e é realizado e patrocinado pela Fundação Santillana, com apoio do Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) e da Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação).

O programa prevê edições anuais que devem acontecer até 2016 e tem por objetivo promover a leitura no país, sendo considerado a maior premiação individual de reconhecimento à leitura no Brasil.

Os interessados em participar podem se inscrever em 3 categorias: Bibliotecas públicas, privadas e comunitárias; Escolas públicas e privadas; e Sociedade (ONGs, pessoas físicas, pessoas jurídicas, instituições de ensino superior, instituições sociais e empresas públicas ou privadas), sendo esta última passível de outorgar “Menção Honrosa” a instituições públicas ou privadas que se adequem aos critérios presentes no regulamento do programa.

Este ano as inscrições permanecem abertas até o dia 20 de julho.

O processo de seleção dos vencedores levará em conta a clareza entre os objetivos e os resultados alcançados, adequação do trabalho à idade do público alvo, pertinência do projeto com as características da comunidade a que se destina, qualidade, criatividade e potencial de replicabilidade.

Mais informações sobre o regulamento e a forma de inscrição podem ser obtidas no site http://www.premiovivaleitura.org.br.

Os livros da Biblioteca Particular de Fernando Pessoa estão disponíveis gratuitamente

Os livros da Biblioteca Particular de Fernando Pessoa estão disponíveis gratuitamente on-line desde dia 11.12.2010 no site da Casa Fernando Pessoa. Até agora, só uma visita à Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, permitia consultar este acervo que é “riquíssimo”, mas com o site bilíngüe (português e inglês) disponível em – http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt – em qualquer lugar do mundo, com uma ligação à Internet é possível consultar, página a página, os cerca de 1140 volumes da biblioteca, mais as anotações – incluindo poemas – que Fernando Pessoa foi fazendo nas páginas dos livros.

Fachada do edifício - Rua Coelho da Rocha, 16 Campo de Ourique - Lisboa

Um universo plural

Inaugurada em Novembro de 1993, a Casa Fernando Pessoa foi concebida pela Câmara Municipal de Lisboa como um centro cultural destinado a homenagear Fernando Pessoa e a sua memória na cidade onde viveu e no bairro onde passou os seus últimos quinze anos de vida, Campo de Ourique.

Possuindo um auditório, jardim, salas de exposição, objctos de arte, uma biblioteca exclusivamente dedicada à poesia, além de uma parte do espólio do poeta (objetos e mobiliário que pertenceram ao poeta e que são atualmente patrimônio municipal), a Casa Fernando Pessoa é um pequeno universo polivalente onde, nos seus três pisos principais, se realizam colóquios, sessões de leitura de poesia, encontros de escritores, espetáculos musicais e de teatro, conferências temáticas, workshops, exposições de artes plásticas, sessões de apresentação de livros, ateliers para crianças, numa programação o mais possível diversificada.

Apresentação

«Sê plural como o universo!» [Fernando Pessoa]

A Casa Fernando Pessoa possui um tesouro único no mundo: a biblioteca particular desta figura maior da literatura. É muito raro conseguir-se encontrar a biblioteca inteira de um escritor com a dimensão universal de Pessoa. Os livros tendem a mover-se muito depressa: emprestam-se, perdem-se, vendem-se. Pessoa também vendeu alguns – mas deixou-nos 1142 volumes, de todos os gêneros e em vários idiomas, densamente anotados e manuscritos.

Entendemos que uma biblioteca desta importância devia tornar-se patrimônio da humanidade – e não apenas dos que podem deslocar-se a esta Casa onde Fernando Pessoa viveu os últimos quinze anos da sua vida.

Graças à dedicação de uma equipa internacional de investigadores coordenada por Jerónimo Pizarro, Patricio Ferrari e Antonio Cardiello foi possível digitalizar, na íntegra, toda a biblioteca. Graças ao apoio da Fundação Vodafone Portugal foi possível colocar online cada uma das páginas digitalizadas. Deste encontro de entusiasmos generosos resultou a disponibilização gratuita da preciosa biblioteca do autor de O Livro do Desassossego, que agora pertence aos leitores em qualquer parte do globo. Procuramos tornar acessível e simples a compreensão da biblioteca no seu todo – que está classificada por categorias temáticas – e a consulta de cada livro. Destacamos páginas que incluem manuscritos do próprio Pessoa – ensaios e poemas escritos nas páginas de guarda dos livros.

Trata-se de uma biblioteca aberta ao infinito da interpretação – bela, surpreendente e instigante, como tudo o que Fernando Pessoa criou. Usufruam-na.

Acesse a Biblioteca Particular de Fernando Pessoa, clicando em: http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt

Casa Fernando Pessoa - Acervo

Horário:

De Segunda a Sábado, das 10h00 às 18h00

Horário da Biblioteca:

De Segunda a Sexta, das 10h00 às 18h00

Entrada livre

Visitas Guiadas para estabelecimentos de ensino

Folheto

Fonte: http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt/

Diversidade e Educação Quilombola – livros para download

As Comunidades Remanescentes de Quilombo são a presença e a memória viva da diáspora africana em nosso país. Sendo um espaço privilegiado para conhecer e vivenciar a história e cultura afrobrasileira, somente a partir de 2005, com a criação do Grupo de Trabalho Clóvis Moura para a realizar o Levantamento Socioeconômico, Cultural e Educacional as Comunidades Tradicionais Negras e Quilombolas do Paraná, o Estado veio a conhecer e reconhecer oficialmente essas comunidades.
Desde então a Secretaria de Estado da educação vem construindo uma Política de Educação Escolar Quilombola com o objetivo de garantir o direito a Educação Básica dessas comunidades e dar visibilidade a História e Cultura Afrobrasileira presente nessas comunidades .
Conheça mais sobre as Comunidades Quilombolas do Estado e sobre a Política de Educação Quilombola nos materiais abaixo:

Revista Terra e Cidadania: Terras e Territórios Quilombolas

Terras e Território Quilombolas faz parte da Série Terra e Cidadania do Instituto de Terras Cartografia e Geociências do Paraná. O referido material torna público o relatório do levantamento realizado pelo GT Clóvis Moura entre o período de 2005 a 2008.
clique na imagem abaixo para ter acesso ao material



Paraná Negro

O livro Paraná Negro foi organizado pela FUNPAR (Fundação da Universidade Federal do Paraná) em parceria com o Grupo de Trabalho Clóvis Moura. O livro, que traz uma síntese das pesquisas realizadas  desde 2004 foi distribuído para todos os estabelecimentos públicos de ensino do Paraná. Esta publicação retrata os 36 quilombos já certificados pela Fundação Palmares, instituição vinculada ao Ministério da Cultura, responsável pela identificação desses grupos no Brasil.
O leitor agora tem a possibilidade de passear pela história e conhecer as principais características culturais dos quilombolas paranaenses. Em todos os capítulos, os registros iconográficos apresentam o rosto desse povo guerreiro, que se encontra espalhado Paraná afora.

clique na imagem abaixo para ter acesso ao material


Mapa  da População Negra e Comunidades Quilombolas do Paraná

Através do cruzamento dos dados do Censo IBGE-2000 e dos dados coletados sobre a localização das Comundades Quilombolas, o Instituto de Terras,   cartografia e Geociências do Paraná (ITCG) elaborou o Mapa da População Negra e Comunidades Quilombolas do Paraná. Esse é o primeiro mapa elaborado por um orgão público que aborda a presença negra e quilombola no Paraná.

Esse e outros mapas, como o da Mapa da Presença indígena no Paraná,  estão disonibilizados no link: http://www.itcg.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=47



Caderno  Temático Educação Escolar Quilombola
Esse Caderno Temático, elaborado  em  2009, traz uma sintese das ações que compõem a política de Educação Escolar Quilombola no Paraná, contendo artigos do prof.  Dr. José  Maurício  Arruti  (PUC-Rio), relatórios sobre os indíces educacionais das Comunidades Quilombolas e de formações continuadas executadas junto as escolas que atendem essas comunidades e  trecho da Proposta Pedagógica Escola Quilombola e Etnosdesenvolvimento Sustentável e Solidário.

clique na imagem abaixo para ter acesso ao material

Proposta Pedagógica Escola Quilombola e Etnodesenvolvimento Sustentável e Solidário
A Proposta Pedagógica Escola Quilombola e Etnodesenvolvimento Sustentável e Solidário foi elaborado durante o período de 2006 a 2008, a partir de demandas que se originou na Ação Pública do Governo do Paraná para as Comunidades Quilombolas do Vale do Ribeira-PR,  realizada  no dia 12 de maio de 2006 na comundiades Remanescente de Quilombo João surá – Município de adrianópolis. O trabalho foi iniciado em agosto de 2006 em um diálogo com a Comunidades de João Surá, local onde foi criada a primeira escola Quilombola no Paraná . O início  desse trabalho foi realizado sob a assessoria da professora drª Maria Clareth Reis, e a finalização do texto base contou com a consultoria das professoras Drº georgina helena Lima Nunes e Ms. Giselle Moura Schnorr e do prof. Ms. lauro Cornélio da Rocha. Finalizado o documento ele foi submetido avaliação das demais comunidades quilombolas durante evento realizado em Guarapuava em outubro de 2008. O documento foi encaminhado ao Conselho Estadual  de Educação, onde foram indicadas algumas alterações para a necessidade de aprovação. A aprovação da Proposta Pedagógica Quilombola ocorreu em Janeiro de 2010 e está em fase de implementação na Colégio Estadual Quilombola Diogo Ramos – Comunidade Quilombola de João Surá e é referncia para a construção de outras escolas quilombolas criadas ou em fase de criação no Estado do Paraná.

Proposta Pedagógica Quilombola

Um Lugar, quilombo: Experiências de alfabetização de Jovens, Adultos e Idosos nos Quilombos

E agora eu, palavra, palavra falada, palavra pensada,
também vos quero interpelar: porque me usam, me utilizam,
me instrumentalizam, me trocam, me blasfemam, me agridem,
me choram, me insultam e me sorriem, me apedrejam e às
vezes também me cinzelam de arte e rima, de canto e música,
sem pedirem à fonte de energia pura o meu acordo positivo?
Calane da Silva

Ao fazer a palavra falar, desde as terras de além mar, o escritor e intelectual Calane da Silva fornece elementos para refletirmos sobre os processos de alfabetização em territórios afrodescendentes. Poderíamos, a partir dessa interpelação moçambicana da palavra ser movidos a perguntar: Qual o sentido da palavra e da escrita em quilombos? Como alfabetizar nesses territórios sem restringir a potência da palavra aos limites da escrita?
Ao distinguir palavra e escrita em sociedades negro-africanas, Fábio Leite (2004, p.38) afirma: “A escrita liga-se à instrumentalização, a palavra à ação do homem [e das mulheres] e a relação social direta”. Para Leite, não foi a ausência de um desenvolvimento técnico e intelectual que impediu a adoção da escrita nessas comunidades, pois destaca que as mesmas são “plenas da mais complexa simbologia, grafada ou não”, mas a coerência com um princípio ético de otimização do humanismo na regência da vida por meio das normas ancestrais. Nessa perspectiva a “utilização [da palavra] permite a captação mais vital da realidade, do conhecimento e sua transmissão.” Assim, a palavra ação que se expressa nesses territórios está intimamente ligada a sabedoria.
Como alfabetizar então em Um lugar, quilombo? Onde a palavra é ação resistência? Onde o alfabeto das plantas e das rosas que falam, contradiz Cartola? Onde as bananas de muitos lugarejos falam sabores e saberes de cura?
Os alfabetizadores, no processo de alfabetização que se desenvolvem neste lugar, seguindo preceitos freireanos, devem educar-se a medida que educam. Alfabetizar-se a medida que alfabetizam, pois alfabetizar nesse lugar quilombola exige alfabetizar-se nas palavras silenciadas e persistentes da diáspora africana.
Alfabetizar em Um lugar, quilombo é fazer falar a palavra, não para ficar restrita a grafia escrita, mas para fortalecer o texto das “lutas” empreendidas historicamente por Análias, Domingos, Arletes, Ruis, Antônios, Joanas, Iltons, Clarindas …
Alfabetizar nestes lugares é criar barragem às barragens e ao monocultura do pinus que
impedem o fluxo da vida no ritmo do Puxirão e da Reunida. É tornar o sentido do uso da palavra equivalente ao uso da terra.
Lá a escrita não deve confundir-se com a sabedoria, mas potencializá-la, pois como recorda Amadou H. Bâ: A escrita é uma coisa, e o saber outra. A escrita é a fotografia do saber, mas não o saber em si. O saber é uma luz que existe no homem. É a herança de tudo aquilo que nossos ancestrais puderam conhecer”. Assim, ao alfabetizar em Um lugar, quilombo, o alfabeto escrito não é “precata” que dificulta a caminhada, mas tecnologia que coloca em movimento saberes ancestrais sobreviventes.

Cartografia Social e Alfabetização

O Caderno Cartografia Social e Alfabetização alia a experiência de Elaboração de Cartografia Social de Povos e Comunidades Tradicionais ao processo de alfabetização. Esse caderno foi elaborado com a participação de professoras/es de povos e comunidades tradicionais do Paraná.

Bibliografia Afrobrasileira: sugestões de leitura

Experiências étnico-culturais para a formação de professores
Autor/a: Nilma Lino Gomes e Petronilha Beatriz Gonçalves (Orgs.)
Editora/Ano: Autêntica/ 2006

Resumo: Pesquisadores nacionais e estrangeiros projetam suas interpretações sobre uma questão que está no centro das atenções de grupos de militância, estudiosos e políticos: a diversidade étnico-cultural. Dirigido de maneira especial aos professores e à sua formação, este livro é indispensável para o debate sobre a educação e os processos de busca de identidade, nos quais estarão sempre presentes as tensões, os conflitos e as negociações entre os semelhantes e os diferentes.

Bantos, Malês e identidade negra
Autor/a: Nei Braz Lopes
Editora/Ano: Autêntica/ 2006
Resumo: Este livro reúne elementos históricos sobre a formação do Brasil em seu caráter étnico, identitário e cultural e mostra ao leitor as contribuições dos Bantos nesse processo. Além disso, Nei Lopes estabelece novos parâmetros sobre a relação entre islamismo e negritude. À guisa de seu envolvimento com a resistência cultural negra no Brasil e na África, apresenta ao leitor uma face da história ignorada por grande parte dos brasileiros.

O que é racismo?
Autor/a: Joel Rufino
Editora/Ano: Brasiliense/ 1985
Resumo: “A raça negra tem comportamento psicológico instável e, por isso, não cria civilização.” Alguns tentam provar que as diferenças sociais são determinadas por fatores biológicos. Outros explicam que o racismo surgiu da necessidade de justificar à agressão. Seria verdade? Faria o racismo parte da natureza humana? Neste livro, os primeiros passos para a compreensão deste fenômeno universal, suas modalidades e suas implicações sociais.

Rediscutindo a mestiçagem no Brasil
Autor: Kabengele Munanga
Editora/Ano: Autêntica/2004
Resumo: É na luz do discurso pluralista emergente (multiculturalismo, pluriculturalismo) que a presente obra recoloca em discussão os verdadeiros fundamentos da identidade nacional brasileira, convidando estudiosos da questão para discutí-la, e melhor entender por que as chamadas minorias, que na realidade constituem maiorias silenciadas, não são capazes de construir identidades políticas verdadeiramente mobilizadoras.

Sem perder a raiz
Autora: Nilma Lino Gomes
Editora/Ano: Autentica/ 2005
Resumo: O cabelo é analisado na obra da Profa. Nilma Lino Gomes, não apenas como fazendo parte do corpo individual e biológico, mas, sobretudo, como corpo social e linguagem, como veículo de expressão e símbolo de resistência cultural. É nesta direção que ela interpreta a ação e as atividades desenvolvidas nos salões étnicos de Belo Horizonte a partir da manipulação do cabelo crespo, baseando-se nos penteados de origem étnica africana, recriados e reinterpretados como formas de expressão estética e identitária negra. A conscientização sobre as possibilidades positivas do seu cabelo oferece uma notável contribuição no processo de reabilitação do corpo negro e na reversão das representações negativas presentes no imaginário herdado de uma cultura racista.

Tirando a máscara: ensaios sobre o racismo no Brasil

Autor/a: Lynn Huntley e Antônio Sérgio Alfredo Guimarães (Org.)
Editora/Ano: Paz e Terra/ 2000
Resumo: Passados 112 anos da emancipação formal dos negros brasileiros, o Estado ainda não foi capaz de garantir a completa igualdade de oportunidades e de tratamento para todos os segmentos da sociedade. Ainda que, do ponto de vista discursivo e formal, negros e brancos sejam iguais e que fatores tais como as relações pessoais, a riqueza e o prestígio social sejam mais valorizados no Brasil, a verdade é que a ‘raça’ continua a determinar o destino pessoal de milhões de brasileiros. Não importa repetir que ‘a cor é apenas aparência’ e que formamos todos a mesma raça humana se continuamos a negar e a encarar sem seriedade as práticas cotidianas e as estruturas que reproduzem as desigualdades entre brancos e negros. Isso é o que nos ensina este livro, que se chama ‘Tirando a Máscara’, como a lembrar que as igualdades formais podem muito bem esconder e perpetuar a desigualdade mais iníqua, por meio da ausência contínua de lutas pela implantação dos direitos humanos.

Sugestões de leituras.pdf